Biblioteca Virtual
 Biografia de Filósofos
 História da Filosofia
 Laifis de Filosofia

 Eventos do Mês
 Resenha do Mês
 Livro da Semana
 Entrevista do Mês
 Jornais Brasileiros

 Oráculo
 Dicionário de Filosofia
 Filosofia On-line (TV)
 Rádio Filosofia
 Como estudar Filosofia
 Dicas para Monografia
 Filos. e Outras Áreas
 Filos. na Sala de Aula

 Exercícios Comentados
 Jogos On-line
 Provas de Concursos

 Loja virtual
 Curso de Filosofia

 Curiosidades Filosóficas
 Escolas de Filosofia
 Filosofia Clínica
 Histórias Filosóficas
 Relato do Leitor
 Frase de um Leitor
 Charge da Semana
 Filosofia em Quadrinhos
 Fil. para Crianças
 Lançamento de Livros
 Livros para Download
 Frase de Filósofos
 Uma Foto, uma História
 Trechos de Livros
 Enquetes
 Cursos de Extensão
 Fale Conosco

 

 

Provas de Concursos e do Vestibular

 
(08/Mar) Prova e Gabarito - Professor de Ensino Religioso e Filosofia - Colégio da Polícia - Estado de Pernambuco - CONUPE - 2011
 
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

21. Marque a alternativa INCORRETA.
A) A filosofia nasceu não na Grécia propriamente dita, mas, nas colônias gregas do Oriente e do Ocidente, a saber, na Jônia e na Magna Grécia.
B) O problema cosmológico é o primeiro a destacar-se claramente, como objeto de pesquisa sistemática diferente, do impreciso complexo de problemas que já ocupava a mente dos gregos ainda antes do surgir de uma reflexão filosófica verdadeira e própria.
C) Pode-se afirmar que a maioria dos primeiros filósofos pensava que os princípios de todas as coisas se encontravam na espécie e na substância material, pois aquilo de que se formam todos os seres e de que primeiramente são gerados e em que finalmente se dissolvem, permanecendo a substância no mudar de modalidade, diz-se que este é o elemento e princípio dos seres.
D) Sobre a expressão "milagre grego", significa não só que, de modo absolutamente original e espontâneo, os gregos criaram a filosofia e a ciência gregas, mas, sobretudo, criaram para o Oriente a filosofia e a ciência, isto é, modos de sentir, pensar e de intervir sobre a realidade.
E) No mito, thauma é "o maravilhoso"; o efeito de assombro que ele provoca; é o sinal da presença nele do sobrenatural. Para os milésios, a estranheza de um fenômeno, em vez de impor o sentimento do divino, propõe-nos ao espírito em forma de problema.

22. Coloque V para verdadeira e F para falsa nas afirmativas abaixo referentes ao Senso comum, à Ciência e à Filosofia.
( ) A ciência é uma das formas de conhecimento que o homem produziu no transcurso de sua história, com o intuito de entender e explicar racional e objetivamente o mundo para nele poder intervir.
( ) A palavra "filosofia" na sua estrutura verbal é formada pelas palavras gregas philos e sophia, que significam "amor à sabedoria". Filósofo é o amante da sabedoria.
( ) O senso comum é o guia do homem na solução de suas dificuldades diárias. É o discurso com o qual está habituado, orientando-o em seu dia a dia.
( ) O conhecimento filosófico substituiu os mitos e as crenças religiosas na tentativa de conhecer e compreender o mundo e os seres que nele habitam. A filosofia se apresenta como uma das formas possíveis de entendimento da realidade desconhecida e enigmática.
( ) A filosofia não faz juízos de realidade, como a ciência, mas, juízos de valor.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.
A) V, V, V, V, F.
B) V, V, V, V, V.
C) F, V, F, V, V.
D) F, V, F, F, V.
E) V, V, V, F, F.

23. Assinale a alternativa INCORRETA.
A) Os famosos "sofistas" do século V a. C são, muitas vezes, estrangeiros. O movimento de pensamento que eles representam mostra-se ao mesmo tempo como uma continuidade e como uma ruptura em relação ao que os precede. Sofista é o mestre ou o professor de uma arte ou técnica ou ofício. A palavra sofista não tem o sentido pejorativo, que veio a adquirir muito mais tarde, em Atenas.
B) Os pensadores cristãos nunca se cansaram de comparar Sócrates e Jesus: ambos foram condenados por seus ensinamentos, ambos compareceram aos tribunais e não se defenderam, ambos nada deixaram escrito, ambos criaram uma posteridade sem limites, e tudo o quanto sabemos de ambos depende de fontes indiretas, escritas depois de estarem mortos.
C) Alguns preceitos são os fundamentos da filosofia socrática: "Conhece-te a ti mesmo" e "Sei que nada sei" são as duas expressões que ninguém no pensamento ocidental jamais duvidou que fossem de Sócrates.
D) Os sofistas, inventam a educação em ambiente artificial, o que se tornará uma das características de nossa civilização. Eles são os profissionais do ensino, antes de tudo, pedagogos.
E) A ironia platônica consiste em simular aprender alguma coisa de seu interlocutor, para levá-lo a descobrir que não conhece nada no domínio do que pretende ser sábio.

24. É CORRETO afirmar que, na filosofia de Platão,
A) o diálogo o Banquete imortalizou a figura de Sócrates como filósofo, isso é, como o homem que procura, a um só tempo, por seu discurso e por seu modo de vida, aproximar-se e fazer aproximar-se dos outros dessa maneira de ser, desse estado ontológico transcendente que é a sabedoria.
B) retrata-se a filosofia como forma de vida no Liceu. Em outras palavras, o amor é criador e fecundo.
C) na dimensão epistemológica, a lógica é uma alegoria a respeito das duas principais formas de conhecimento: na teoria das ideias, Platão distingue o mundo ultrassensível dos fenômenos e o mundo inteligível das ideias.
D) na Metafísica e na Ética a Nicômaco, apresenta a finalidade do conhecimento ou ciência - epistéme - e da ação - práxis e poíesis.
E) os tratados lógicos estão agrupados em três conjuntos, segundo o tipo de assunto investigado: Primeiros Analíticos; Segundos Analíticos; Tópicos e Refutação Sofísticas.

25. Aristóteles, amigo de Platão, mas, como ele mesmo diz, mais amigo da verdade, desenvolve, por sua vez, o método da dialética de uma forma que o faz mudar de aspecto. Aristóteles atenta:
A) Para as leis do silogismo, suas formas, suas figuras, são, pois, o desenvolvimento que Aristóteles faz da dialética.
B) Para o emprego do mito da "reminiscência", em que o filósofo narra o conto seguinte: As almas humanas, antes de viverem neste mundo e se alojarem cada uma delas num corpo de homem, viveram em outro mundo, viveram no mundo onde não há homens, nem coisas sólidas.
C) Para a análise, o método que conduz à intuição, e, a partir deste momento, em toda a filosofia, acentua-se constantemente este instrumento da intuição.
D) Para a maiêutica, o método que desperta a sua curiosidade e estimula-o a refletir. A sua função de libertação do espírito.
E) Para a dialética, a transcendência e imanência. Dá ensejo às conclusões firmes do pensamento filosófico.

26. Coloque V para Verdadeiro e F para Falso nas afirmativas abaixo referentes ao Mito e à Filosofia.
( ) Do mito foram dadas as mais diversas interpretações, das quais as principais são: mito-verdade e mito-fábula. Para a primeira interpretação, os mitos são as únicas explicações das coisas que a humanidade, nos seus primórdios, estava em condições de fornecer e nas quais acreditava firmemente. Para a segunda interpretação, eles são representações fantasiosas nas quais ninguém jamais acreditou, muito menos seus criadores.
( ) Os primeiros que consideraram os mitos como simples fábulas foram os filósofos gregos. A eles se juntaram mais tarde os Padres da Igreja, os escolásticos e a maior parte dos filósofos modernos.
( ) Sobre o nascimento da filosofia, os historiadores distinguem quatro grandes períodos na história da sociedade grega: 1. Período homérico; 2. Período da Grécia arcaica ou dos Sete Sábios; 3. Período clássico; 4. Período helenístico.
( ) Das análises feitas pelos estudiosos de nosso tempo, segue-se que o mito exerceu, entre os povos antigos, três funções principais: religiosa, social e filosófica.
( ) O mito procede, mediante a representação fantástica, a imaginação poética, a intuição de analogias, sugeridas pela experiência sensível; permanece, pois, além do logos, ou seja, além da explicação racional.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.
A) V, V, V, F, V.
B) F, F, V, V, F.
C) V, V, F, V, V.
D) V, V, V, V, F.
E) V, V, V, V, V.

27. Sobre a expressão cultural da filosofia no Ocidente, é INCORRETO afirmar que
A) a atividade filosófica, enquanto abordagem racional, surge no contexto cultural grego, expressando-se inicialmente como tentativa de explicar a realidade do mundo sem recorrer à mitologia e à religião.
B) a filosofia nasce na Grécia, no século V a.C., com os filósofos pré-socráticos, procurando encontrar o princípio do universo.
Alguns vão explicar o mundo, apelando para uma arché, ou seja, o elemento constitutivo básico do qual a totalidade do universo seria constituída.
C) Sócrates, Platão e Aristóteles são os pensadores clássicos da Grécia dos séculos V e IV a.C. e que constituíram a filosofia como metafísica, fornecendo os alicerces de toda a tradição filosófica do Ocidente.
D) é no contexto helenístico, universalizado pela ação político-administrativa dos romanos, que a filosofia grega vai se encontrar com o cristianismo. Desde o início da era cristã, pensadores ligados à nova religião estudaram o pensamento dos gregos e estabeleceram relações com ele, incorporando alguns elementos e rejeitando outros.
E) o projeto iluminista da filosofia, conduzido sob o mais exigente racionalismo, iniciou-se por duas grandes vias. De um lado, praticando-se uma filosofia acrítica, encarregada de superar a metafísica no plano teórico; de outro, criando uma nova forma de conhecimento, a religião, que substituiria o saber das essências pelo saber dos fenômenos.

28. Qual dos filósofos abaixo, reconhecidamente na tradição, complicou com tantos elementos lendários? A doutrina de sua escola tinha essencialmente um caráter religioso; foi uma associação política além de filosófica. A doutrina fundamental da escola é que a substância das coisas é o número. Estamos falando de
A) Heráclito de Éfeso.
B) Anaxímenes de Mileto.
D) Pitágoras de Samos.
C) Anaximandro de Mileto.
E) Tales de Mileto.

29. Das três grandes escolas pós-aristotélicas, a estoica foi de longe, do ponto de vista histórico, a mais importante. Qual dos filósofos abaixo é reconhecidamente o fundador do Estoicismo?
A) Zenão de Citium.
B) Epicuro de Samos.
D) Cleanto de Assos.
C) Diógenes de Selêucia.
E) Crisipo de Soli.

30. O filósofo Epicuro vê na filosofia o caminho para se alcançar a felicidade, entendida como libertação das paixões. O filósofo distingue três partes da filosofia. Das alternativas abaixo, qual delas corresponde às três partes da filosofia de Epicuro?
A) A ética, a estética e a física.
B) A lógica, a estética e a ética.
D) A canônica, a estética e a física.
C) A canônica, a física e a ética.
E) A estética, a física e a lógica.

31. No Ocidente, por obra do filósofo-teólogo Santo Agostinho, ocorreu uma síntese filosófico-religiosa incalculável em todo o pensamento filosófico e teológico posterior. Qual das questões abaixo não diz respeito às características da investigação agostiniana?
A) A fé está para Agostinho no termo da investigação, não, no seu início. Por certo, a fé é a condição da procura que não teria direção nem guia sem ela.
B) Para Agostinho, a procura empenha o homem todo, não apenas o intelecto. A verdade para que tende é também, segundo a palavra angélica.
C) Para o filósofo, o entusiasmo religioso, o ímpeto místico para a verdade não agem nele como forças contrárias à procura, mas robustecem a própria procura, dão-lhe um valor e um calor vital.
D) A racionalidade da procura não é para Santo Agostinho o seu organizar-se como sistema, mas antes a sua disciplina interior, o rigor do procedimento que não para frente ao limite do mistério, mas faz deste limite e do próprio mistério um ponto de referência e uma base.
E) Para Santo Agostinho, a procura encontra o fundamento e o guia na razão, e a razão encontra a sua consolidação e o enriquecimento na procura. A fé não está para Agostinho no termo da investigação.

32. São Tomás de Aquino (1221-1274) representa o apogeu da escolástica medieval, na medida em que conseguiu estabelecer o perfeito equilíbrio nas relações entre a Fé e a Razão, distinguindo-as, mas não as separando necessariamente. Marque a alternativa INCORRETA sobre o pensamento tomista.
A) A filosofia tomista encontrou inicialmente forte oposição por parte da Igreja e das universidades medievais devido ao seu caráter de novidade frente à tradição agostiniana.
B) O pensamento tomista superou as posições ambíguas de seus predecessores, os quais, ao abordarem a questão das relações entre a Fé e a Razão, a teologia e a filosofia, muitas vezes pareciam confundi-las.
C) A teoria tomista do conhecimento é decalcada da platônica. A sua característica mais original é o relevo que nela toma o caráter abstrativo do processo do conhecimento e, consequentemente, a teoria da abstração.
D) O tomismo estabelece o princípio fundamental que, reformando a metafísica aristotélica, a adapta às exigências do dogma cristão: a distinção real entre essência e existência.
E) São Tomás de Aquino sobre "as provas da existência de Deus", enumera cinco vias para passar dos efeitos sensíveis até à existência de Deus. Essas vias já expostas na Summa contra Gentiles encontram a sua formulação clássica na Summa Thologiae.

33. Coloque V para Verdadeiro e F para Falsa nas afirmativas abaixo referentes ao Racionalismo Cartesiano e o Empirismo Inglês.
( ) O problema do homem Descartes e o problema da reta razão ou da bona mens (isto é, da sabedoria da vida) são, na realidade, um só e mesmo problema. Descartes não procurou senão resolver o seu próprio problema, porém a verdade é que a solução encontrada por ele não vale apenas para si mas para todos os homens, porque a razão que constitui a substância da subjetividade humana é igual em todos os homens.
( ) Para Descartes, a razão é uma faculdade especificamente humana a que Deus oferece apenas alguma garantia, subordinada de resto ao respeito de regras precisas.
( ) René Descartes descobriu o seu método mediante a consideração do processo matemático. Para ele, o método é sempre matemático, na medida em que procura o ideal matemático, quer dizer, converter-se numa mathesis universalis: conhecimento completo e inteiramente dominado pela razão.
( ) Desde a filosofia de Francis Bacon, o empirismo caracteriza-se pela defesa de uma ciência baseada em um método experimental, valorizando a observação e a aplicação prática da ciência.
( ) No plano político, o empirismo tem como consequência uma defesa do liberalismo contra as ideias absolutistas do direito divino do soberano.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.
A) F, V, V, V, F.
B) V, V, F, F, V.
D) V, F, F, F, V.
C) F, F, V, V, V.
E) V,V,V,V,V.

34. Das alternativas abaixo, marque a alternativa INCORRETA sobre o Kantismo.
A) A Crítica da Razão Pura não é uma crítica dos livros e dos sistemas, mas, a do poder da razão em geral. Sobre os limites da razão e a metafísica, Kant investigou e descobriu a fonte do erro dessas correntes dogmáticas: a própria razão. A razão humana tende naturalmente a transgredir o domínio da experiência e se arvorar a conhecimentos de objetos, dos quais possui somente conceitos, por si insuficientes a qualquer determinação objetiva.
B) O estudo das condições a priori do conhecimento foi denominado por Kant "transcendental", que nada tem a ver com o "transcendente", mas com aquelas condições que, de parte do sujeito, contribuem, constitutivamente, para a possibilidade da experiência.
C) Toda a filosofia, segundo Kant, tem por fim responder a uma só questão, que comanda tudo: O que pode legitimamente a nossa razão? Esta questão subdivide-se em três principais, que contêm todo o interesse da minha razão (tanto especulativo com prática): O que posso saber? O que devo fazer? O que me é permitido esperar?
D) Todo o esforço de Kant tende a substituir ao estado de natureza um estado jurídico, em que a guerra será substituída pelo processo, e a vitória por uma sentença arbitral. Kant, no mais íntimo do seu ser e do seu gênio, é o Homem do direito.
E) Na Crítica da Razão Pura, a investigação kantiana quer fundar a metafísica, baseando-se na moral, apesar da impossibilidade da metafísica dogmática. Na Crítica da Razão Pura, a ação é presidida pela razão mediante a qual o indivíduo procede conscientemente e estabelece regras de conduta.

35. Nas afirmativas abaixo (1), (2), (3), (4), (5) marque V para as Verdadeiras e F para as Falsas.
(1) No plano antropológico e ético, o que Friedrich Nietzsche quis propor foi uma nova técnica de valores, os valores vitais, que, de fato, entraram, de algum modo, na consideração do pensamento filosófico e científico e constituem o contributo maior da sua doutrina para a problemática da filosofia contemporânea.
(2) O positivismo, de acordo com Augusto Comte, não é uma corrente filosófica entre outras, mas a que acompanha, promove e estrutura o último estágio que a humanidade teria atingido, fundado e condicionado pela ciência.
(3) O pragmatismo é a forma que foi assumida, na filosofia contemporânea, pela tradição clássica do empirismo inglês.
Para o pragmatismo, a experiência é substancialmente abertura para o futuro: uma de suas características básicas é a possibilidade de fundamentar uma previsão.
(4) A obra lógica de Bertrand Russell é o seu maior contributo para o pensamento contemporâneo. Os princípios de matemática e os Principia Mathematica são considerados clássicos, sendo comparados aos maiores escritos sobre lógica da Antiguidade e da Idade Média.
(5) A figura dominante do neo-empirismo é a de Ludwig Wittgesnstein. A filosofia de Wittgesnstein é substancialmente, nas suas duas fases, uma teoria da linguagem. Com efeito, os termos de que se serve são dois: o mundo, como totalidade de fatos, e a linguagem, como totalidade de proposições que significam tais fatos.
Assinale a alternativa CORRETA.
A) As afirmativas (1), (2), (3) e (4) são falsas, enquanto a afirmativa (5) é verdadeira.
B) As afirmativas (1), (2), (3) e (4) são verdadeiras, enquanto a afirmativa (5) é falsa.
C) Todas as afirmativas são verdadeiras.
D) As afirmativas (1), (2) e (4) são verdadeiras, enquanto as afirmativas (3) e (5) são falsas.
E) As afirmativas (1), (3) e (5) são verdadeiras, enquanto as afirmativas (2) e (4) são falsas.

36. Marque a alternativa INCORRETA.
A) A fenomenologia - no sentido específico em que esta palavra é empregada para designar uma corrente da filosofia contemporânea - concebe e exerce a filosofia como análise da consciência na sua intencionalidade.
B) A expressão materialismo histórico passou a designar o modo de tratamento dado por Marx às questões que haviam sido alvo da atenção dos economistas clássicos.
C) O existencialismo é assim caracterizado, em primeiro lugar, pelo fato de questionar o modo de ser do homem; e, dado que entende este modo de ser com modo de ser no mundo, caracteriza-se em segundo lugar pelo fato de questionar o próprio "mundo", sem, por isso, pressupor o ser como já dado ou constituído.
D) O iluminismo representa a síntese prática e divulgadora do empirismo e do racionalismo modernos, de que decorrerá a Revolução Francesa e, portanto, a civilização contemporânea.
E) Uma meta básica da Escola de Frankfurt é a crítica ao materialismo, a fenomenologia e a reabilitação da "ciência" com uma categoria de conhecimento válido. As teorias críticas não têm posição especial como guias para a ação humana.

37. Friedrich Nietzsche (1844-1900), na sua doutrina, liga-se a correntes diversas, embora não se filie a nenhuma: o evolucionismo, o irracionalismo, a filosofia de vida. Marque a alternativa INCORRETA sobre o pensamento filosófico de Friedrich Nietzsche.
A) Nietzsche identificou o super-homem com o filósofo na acepção de profeta de uma nova humanidade e, deste ponto de vista, a noção de uma "raça de super-homem" apresenta-se-nos absurda e pueril.
B) No plano antropológico e ético, o que Nietzsche quis propor foi uma nova técnica de valores, os valores vitais.
C) Toda a obra de Nietzsche visa esclarecer e defender a aceitação total e entusiástica da vida. Dioniso é o símbolo divinizado desta aceitação, e Zaratustra, o seu profeta.
D) A filosofia de Friedrich Nietzsche não é uma reação tardia contra o idealismo de Hegel e o pessimismo de Schopenhauer. Contra o realismo do primeiro, coloca ele a natureza íntima do homem não na vontade, mas, na razão. Contra o pessimismo do segundo, afirma que o homem deve procurar o aniquilamento pessoal.
E) A transfiguração dos valores é entendida por Nietzsche como a anulação dos limites, como a conquista de um domínio absoluto do homem sobre a terra e o seu corpo, como a eliminação do caráter problemático da vida e de toda a perda ou transvio a que o homem está sujeito.

38. Os filósofos chamam a teoria do conhecimento de "epistemologia" - dos antigos termos gregos "epistéme" (conhecimento) e "logos" (teoria ou explicação). Sobre isso, marque a alternativa INCORRETA.
A) A tarefa principal da epistemologia é a reconstrução racional do conhecimento científico.
B) Em sua caracterização mais ampla, a epistemologia é o estudo filosófico da natureza, das fontes e dos limites do conhecimento.
C) A epistemologia estuda os métodos, as estruturas e a validade do conhecimento.
D) O valor da epistemologia transcende os limites ordinários que separam as disciplinas entre si. Em qualquer disciplina para a qual o conhecimento tenha algum valor, a epistemologia pode contribuir, na medida em que elucida as condições, as fontes e os limites do verdadeiro conhecimento.
E) A epistemologia estuda os julgamentos, a certeza ou o erro, a bondade e os princípios de conduta.

39. Os problemas éticos caracterizam-se pela sua generalidade, e isso os distingue dos problemas morais da vida cotidiana, que são os que se nos apresentam nas situações concretas. Marque a alternativa INCORRETA sobre a ética.
A) A ética parte do fato da existência da história da moral, isto é, toma como ponto de partida a diversidade de morais no tempo, com seus respectivos valores, princípios e normas.
B) A ética é teoria, investigação ou explicação de um tipo de experiência humana ou forma de comportamento dos homens, o da moral, considerado, porém, na sua totalidade, diversidade e variedade.
C) A ética ou moral, conforme uma das definições mais corriqueiras, é o estudo da atividade humana com relação a seu fim último, que é a realização plena da humanidade;
D) A ética é a teoria ou ciência do comportamento moral dos homens em sociedade.
E) É o ramo da filosofia que lida com a essência da realidade. A ética cria a moral.

40. Sobre as relações entre política e moral, é CORRETO afirmar que
A) o primeiro defensor da autonomia da esfera política em relação a todas as outras e, em particular, às esferas da moral e da religião, foi Nicolau Maquiavel.
B) Santo Agostinho afirmou a existência de duas associações do espírito: cidade de Deus e cidade terrena ou Estado.
C) as ideias de Aristóteles estabelecem que o homem é um animal essencialmente político e sociável.
D) no Leviatã, Hobbes dá as razões desse conflito, cabendo destacar, em primeiro lugar, a de que os homens competem, permanentemente, por "honra e dignidade", resultando disso inveja e ódio; em segundo lugar, dado que o bem comum e o bem privado são distintos, é o último que tende a prevalecer.
E) Locke partilhava da ideia de que a sociabilidade natural, ao contrário do que presumiam os escolásticos, não levava necessariamente à constituição do Estado; a sociedade civil não deveria, portanto, ser tomada como Estado.

41. No âmago de toda Ciência Humana, há sempre um enfoque crítico inevitável sobre pontos essenciais à vida humana. Contendo a Filosofia afirmações fundamentais quanto ao ser do homem e às relações com o mundo, marque a alternativa INCORRETA sobre a relação entre Filosofia e Ciências Humanas.
A) Sócrates não deixou morrer a nova preocupação de centralizar tudo na pessoa humana. Não lhe interessavam as velhas perguntas: Que são as coisas? Que é o mundo? Fixava-se no quem sou eu?. O único universo ao qual referia todas as suas indagações é o universo humano.
B) Platão deu um passo importante à frente do autoconhecimento individual canonizado por Sócrates, insistindo na dimensão sociopolítica, com que se estabelece um laço necessário entre educação e sociedade, entre filosofia da educação e filosofia política entre "paideia" e "política".
C) Aristóteles, em sua obra juvenil, o Protréptico, patenteia plenamente a grandeza de sua antropologia, "como um deus mortal, para duas coisas nasceu o homem: para entender e para agir".
D) Santo Agostinho enfatiza na sua obra "Confissões" que o homem é também inteligência, que reproduz a imagem de todas as coisas, como também avalia e julga essa realidade exterior, só repousando na verdade e, "encontrando a verdade, encontra Deus".
E) O Marxismo como doutrina de libertação do homem, em combate por uma sociedade nova de homens livres e iguais, sociedade em que o homem e só ele é o centro de tudo. Daí a luta frontal do Marxismo a favor da alienação humana, isto é, a favor do escravo, do fetichismo do dinheiro, da consificação do trabalhador e do endeusamento da propriedade privada.

42. Coloque V para Verdadeiro e F para Falso nas afirmativas abaixo referentes ao problema estético.
( ) Etimologicamente, estética vem do grego aesthesis e designa conhecimento efetivado pelos sentidos, sensibilidade, experiência.
( ) O Alemão Alexandre Gottlieb Baumgarten (1714-1762) empregou, pela primeira vez, o termo estética para referir-se às artes, ao intitular aesthetica a obra publicada por volta de 1750.
( ) Três problemas centrais compõem o campo de investigação da estética: a relação entre a arte e a natureza; a relação entre a arte e o homem e a função da arte.
( ) A estética é a disciplina filosófica, que se ocupa da investigação racional do belo e com a análise dos sentimentos por ele provocados.
( ) O problema estético diz respeito à natureza da obra de arte, seu fim e as relações que decorrem entre a atividade estética e outras atividades humanas.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.
A) V, V, V, F, F.
B) V, V, F, F, F.
C) V, V, V, V, V.
D) F, F, V, V, V.
E) F, F, F, V, V.

43. Foi o pensador que denunciou o caráter normativo e normalizador das instituições disciplinares que surgiram com a modernidade. Talvez seja mais conhecido por escrever estudos filosóficos históricos, abordando, principalmente, o modo como as noções de verdade têm suas origens em conflitos e em lutas históricas e como essas noções exercem poder sobre instituições. Dos filósofos abaixo relacionados, assinale o único a quem corresponde esse enunciado,
A) Karl Marx.
B) Michel Foucault.
C) Jacques Derrida.
D) Theodor Adorno.
E) Herbert Marcuse.

44. Boécio, o último representante ilustre da filosofia no Ocidente. Recebeu uma formação cristã e professou o cristianismo; entretanto foi para Atenas a fim de completar a sua formação literária, filosófica e científica. Dentre as principais obras de Severino Boécio, podemos citar
A) Vidas Paralelas.
B) As Confissões.
D) Pensamentos.
C) A Consolação da Filosofia.
E) Enêadas.

45. Que tipo de raciocínio expressa o seguinte silogismo?
O ferro conduz eletricidade
O ouro conduz eletricidade
O cobre conduz eletricidade
Logo, todos os metais conduzem eletricidade.
A) Raciocínio Analítico.
B) Raciocínio Sintético.
D) Raciocínio Indutivo.
C) Raciocínio Dedutivo.
E) Raciocínio Abdutivo.

46. Dos filósofos abaixo relacionados, no âmbito da ética, a quem corresponde esses dizeres: "Duas coisas enchem o ânimo de admiração e veneração sempre novas e crescentes, quanto mais frequentemente e com maior assiduidade delas se ocupa a reflexão: o céu estrelado sobre mim e a lei moral em mim. Esta começa no meu invisível eu, na minha personalidade e expõe-me num mundo que tem a verdadeira infinidade, mas que só se revela ao entendimento"
A) Friedrich Hegel.
B) Tomás de Aquino.
C) Max Scheler.
D) Arthur Schopenhauer.
E) Immanuel Kant.

47. Coloque V para Verdadeiro e F para Falso nas afirmativas abaixo sobre o Ensino da Filosofia.
( ) A história da filosofia pode contribuir para despertar o interesse do aluno por questões filosóficas através do contato com as obras dos grandes pensadores.
( ) Não são as respostas dos filósofos, mas antes, suas perguntas, que nos motivam, e é através dessas perguntas que encontramos o seu ensinamento, desde que possamos retomá-las e reformulá-las como nossas.
( ) Tanto a visão da filosofia como busca a partir de nossas indagações quanto como história da filosofia e conhecimento das doutrinas da tradição não necessariamente se excluem e podem servir de ponto de partida para o ensino da filosofia.
( ) O grande desafio para o ensino da filosofia consiste em motivar aquele que ainda não possui qualquer conhecimento do pensamento filosófico - ou sequer sabe para que serve a filosofia - a desenvolver o interesse por este pensamento, a compreender sua relevância e a vir a elaborar suas próprias questões.
( ) O ensino da filosofia pode ter, então, no caso do estudante de filosofia, um papel formativo, levando-o a desenvolver suas próprias reflexões, com base no conhecimento dos filósofos da tradição, de seus textos, de seus argumentos.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.
A) V, F, V, V, F.
B) V, F, V, V, V.
C) F, F, V, V, V.
D) V, V, V, V, V.
E) F, F, F, V, V.

48. Atente ao texto que se segue:
"O que podemos fazer? Examinando, ainda que seja brevemente, o contexto sociocultural que rodeia a educação média em geral e o ensino de filosofia em particular, a seguinte e decisiva questão seria: o que podemos fazer - ou o que devemos propor -, como professores secundaristas de filosofia, para que esta vital aprendizagem se torne viável e retome o nível que nunca devia ter sido perdido?
(NAVIA, Ricardo. Ensino médio de filosofia nas presentes condições culturais e sociais de nossos países).
Marque a alternativa INCORRETA no tocante ao ensino da filosofia no Ensino Médio.
A) Para o ensino da filosofia no ensino médio, faz-se necessário que boa parte dos cursos de filosofia deveria estar dedicada à análise dos grandes temas de nosso tempo. Os grandes fenômenos que estão gerando as condições do futuro da humanidade e os problemas do conhecimento ou definição axiológica que marcam este tempo e o futuro.
B) De suma importância para o ensino da filosofia no ensino médio é dar um lugar especial às tarefas filosóficas de perfil interdisciplinar que reierarquizem a matéria no contexto geral do currículo.
C) No ensino da filosofia, o que se poderia começar por ensinar é, então, esse olhar agudo que não quer deixar nada sem rever, essa atitude radical, rigorosa e de conjunto que permite problematizar os eventuais fundamentos ou colocar em dúvida aquilo que se apresenta como óbvio ou naturalizado.
D) No ensino da filosofia, deve-se valorar e dar uma oportunidade ao pensamento. De pensar o filosófico não apenas como exigências de uma metodologia que não se submeta à técnica, mas também como forma de relação do professor com os textos, a instituição e, sobretudo, com seus alunos.
E) Seguindo a máxima kantiana: "não há filosofia que se possa aprender; só se pode aprender a filosofar". É preciso seguir à risca essa máxima, esquecer o que se poderia começar por ensinar na esfera do "entre", o espaço onde se realiza o diálogo, o encontro entre Eu e Tu.

49. Atente ao texto que se segue:
"Não é ignorando o contexto das interações mediatizadas pela linguagem, bem como a perspectiva de cada participante, que nós adquirimos um ponto de vista imparcial, mas unicamente por uma abertura universal das perspectivas individuais dos participantes" (Habermas)
Não é CORRETO afirmar sobre a concepção ética de Habermas que
A) ele opõe uma teoria deontológica universal e pós-metafísica; considera que a metafísica clássica abstrata, apriorística e longe do mundo da vida não dá conta da dinâmica da história atual.
B) ele sustenta a posição de que as teorias do bem e da justiça legal não são doutrinas opostas nem concorrentes entre si.
C) a ética comunicativa de Habermas começa criticando duas importantes correntes de pensamento. Primeiramente, move uma constante crítica ao procedimento teórico de Kant; em segundo lugar, Habermas discute com os neo-aristotélicos que defendem o retorno à metafísica, à ética do bem, à prática das virtudes e ao tema da felicidade na linha do estagirita.
D) a ética discursiva se constrói num contexto de procedimentos que nada mais é que o debate em busca de um consenso sobre uma norma problematizada. Não existem normas exteriores ao procedimento discursivo.
E) a ética habermasiana não é construída a partir de uma profunda estima e respeito pela linguagem. Por isso, a irracionalidade da linguagem, sua pretensão à veracidade e sua verificabilidade.

50. Atente ao texto "O analfabeto político", do poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht:
"O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, não participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nascem a prostituta, o menor abandonado, o assaltante e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais"
Marque a alternativa INCORRETA sobre a relação entre Política e Poder.
A) O campo da política não se configura na existência do conflito entre a dimensão privada e a pública, na medida em que o homem é um ser social. Essa configuração inclui a realidade da intersubjetividade, posto que a sociabilidade apaga a subjetividade, o caráter individual das singularidades.
B) Pode-se apontar dois momentos importantes no itinerário do surgimento dessa nova equação da questão do poder e, portanto, da política. Uma primeira referência encontra-se em O príncipe, obra de Maquiavel. Outra referência importante, que é referência básica para as concepções políticas contemporâneas, constitui aquilo que ficou conhecido como teoria liberal e contratualista.
C) Karl Marx procurou mostrar em um conjunto de textos publicados sob o título de A ideologia alemã, que o processo de formação das ideias na mente dos homens é determinado pela realidade material da produção da vida. Ora, nas questões da política, essas ideias são inseparáveis das repercussões produzidas na análise da questão do trabalho.
D) O filósofo Antonio Gramsci usa o conceito de hegemonia para explicar que uma classe é hegemônica quando é capaz de elaborar sua própria visão de mundo, ou seja, um sistema convincente de ideias pelas quais conquista a adesão até da classe dominada. A tarefa de elaboração cabe aos chamados intelectuais orgânicos.
E) A obra de Maquiavel, criticada em toda a parte, atacada por católicos e protestantes, considerada ateia e satânica, tornou-se, porém, a referência obrigatória do pensamento político moderno. A ideia de que a finalidade da política é a tomada e conservação do poder.

GABARITO:
21 D
22 B
23 E
24 A
25 A
26 D
27 E
28 D
29 A
30 C
31 E
32 C
33 E
34 E
35 C
36 E
37 D
38 E
39 E
40 E
41 E
42 C
43 B
44 C
45 D
46 E
47 D
48 E
49 E
50 A
     

 
 
Sites parceiros:

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Fale conosco

Copyright © 2008-2014 Só Filosofia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.