Biblioteca Virtual
 Biografia de Filósofos
 História da Filosofia
 Laifis de Filosofia

 Eventos do Mês
 Resenha do Mês
 Livro da Semana
 Entrevista do Mês
 Jornais Brasileiros

 Oráculo
 Dicionário de Filosofia
 Filosofia On-line (TV)
 Rádio Filosofia
 Como estudar Filosofia
 Dicas para Monografia
 Filos. e Outras Áreas
 Filos. na Sala de Aula

 Exercícios Comentados
 Jogos On-line
 Provas de Concursos

 Loja virtual
 Curso de Filosofia

 Curiosidades Filosóficas
 Escolas de Filosofia
 Filosofia Clínica
 Histórias Filosóficas
 Relato do Leitor
 Frase de um Leitor
 Charge da Semana
 Filosofia em Quadrinhos
 Fil. para Crianças
 Lançamento de Livros
 Livros para Download
 Frase de Filósofos
 Uma Foto, uma História
 Trechos de Livros
 Enquetes
 Cursos de Extensão
 Fale Conosco

 

 

Provas de Concursos e do Vestibular

 
(02/Abr) Prova e Gabarito - Professor de Filosofia - Prefeitura Municipal de São Luiz - MA - FSADU - UFMA - 2007
 
Conhecimentos Específicos

31 - A neutralidade das ciências é um tema retomado e seriamente discutido na Escola de Frankfurt. Nasce, então, a teoria crítica, exposta no ensaio "Teoria Tradicional e Teoria Crítica". Marque a alternativa que contém o pesquisador frankfurtiano autor dessa obra.
a) Walter Benjamin
b) Max Horkheimer
c) Herbert Marcuse
d) Jürgen Habermas
e) Felix Weil

32 - "Diante da educação feita através dos meios de comunicação de massa, pouco podem fazer as escolas e universidades. Quando muito, transmitir uma educação humanista, destinada às classes dirigentes. Porque o trabalhador vai receber a "cultura de massa", que é uma banalização e uma ridicularização da cultura popular".
GADOTTI, Moacir. Concepção dialética da educação: um estudo introdutório - 11º ed. - São Paulo: Cortez, 2000, pág. 138.
A leitura do texto apresenta a educação como transmissora de modelos sociais, difusora de idéias e formadora de cidadãos que reproduzirão a sociedade.
Portanto, é CORRETO afirmar que a educação é:
a) redentora.
b) espontânea.
c) dialética.
d) transformadora.
e) política.

33 - "Os povos revoltados devem ser amputados antes que infectem o Estado inteiro. O mal deve ser extirpado sempre a fim de que se mantenha o poder." Esse pensamento moderno, condutor de muitas ações políticas contemporâneas, pertence ao filósofo:
a) Hobbes.
b) Aristóteles.
c) Maquiavel.
d) Feuerbach.
e) Nietzsche.

34 - Rousseau, um dos filósofos críticos de seu tempo, tratou, com muita pertinência, de questões sociais, políticas e educacionais. Destaca-se sua relevante contribuição, por ter promovido a "Revolução Copernicana" na educação, deixando como lição o otimismo pedagógico.
Tomando por base essa assertiva, assinale a resposta CORRETA.
a) Uma nova maneira de lidar com a natureza humana possibilitou-lhe, no processo da educação: a valorização da infância, a abertura de espaço para as individualidades, o sentimento de liberdade e o relacionamento interpessoal.
b) Sua posição inovadora na política e o entendimento sobre Estado e soberania assinalam uma relação muito próxima com o propósito da educação.
c) A espontaneidade, as emoções não predominam sobre a razão, sobre o pensamento elaborado do indivíduo em estado de natureza.
d) A escola deve ser espaço de alegria, de prazer, todavia, pelas exigências quanto ao domínio intelectivo, não propicia a cooperação entre os alunos.
e) A criança precisa ser considerada enquanto tal, desenvolver seus interesses, sua independência, porém, é vista como miniatura do adulto, não sendo reconhecida como centro do processo educativo.

35 - A história da humanidade nos mostra o quão entrelaçadas estão a filosofia e a ciência. Leia atentamente as afirmações que se seguem e, ao final, assinale a alternativa que indica o grupo CORRETO delas.
I. Descartes, através de seu método para a prática da ciência, rejeita o pensamento acumulador na tradição. Portanto, o filósofo deve isolar-se para obter a pureza do pensamento advinda da razão.
II. Na doutrina positivista, a ciência passa por três estados: o teológico, o metafísico e o positivo.
III. A principal mensagem de Thomas Kuhn é a de que o trabalho científico é condicionado por paradigmas, e estes ditam o método e os procedimentos possíveis em um contexto histórico.
IV. Para Aristóteles, o critério de verdade decisivo para a ciência é a confrontação do discurso com a experiência.
a) I e II, apenas.
b) I, II e III, apenas.
c) I, II e IV, apenas.
d) II, III e IV, apenas.
e) II e IV, apenas.

36 - "O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato dependem de decisões políticas."
Bertold Brecht
A partir da leitura do trecho acima, marque a opção que reflete o estado desse homem não politizado.
a) Desolação e descrença.
b) Alienação e indiferença.
c) Insatisfação e acomodação.
d) Preocupação e ingenuidade.
e) Desamparo e incompreensão.

37 - Em "A Ideologia Alemã", Marx e Engels afirmam que a classe dominante luta sempre para não perder seu status em relação à classe dominada. Para esta sociedade dividida em classes, permanecer como tal, a melhor forma de manutenção do poder é o(a):
a) convencimento.
b) solidariedade.
c) insatisfação.
d) descaso.
e) esclarecimento.

38 - O Maranhão tem o Bumba-meu-boi que é uma das expressões culturais e manifestações populares mais belas do país, cujo espetáculo encanta pela profusão de cores, ritmos, sons e história do seu povo. Porém, o que hoje é motivo de orgulho, outrora era repulsivo, pois era vivenciado por quem era pobre e sem origem "nobre".
Isto reflete, sobremaneira, o poder da
a) resistência.
b) fé.
c) cultura.
d) ignorância.
e) ideologia.

39 - A arte como imitação da natureza corresponde ao pensamento característico do(s) período(s):
a) Medieval e moderno.
b) Moderno.
c) Antigo.
d) Medieval.
e) Antigo e medieval.

40 - Observe atentamente as afirmações que se seguem e as relacione com os filósofos correspondentes na seqüência em que se colocam, assinalando a alternativa CORRETA:
I. O indivíduo torna-se justo, corajoso e prudente à medida que assim agindo habitua-se ao que é eticamente justo, corajoso e prudente.
II. Tudo é certo em saindo da mão do Autor das coisas; tudo degenera nas mãos do homem.
III. O real é racional e o racional é real.
IV. Ação livre é aquela em que o homem não depende das determinações do mundo sensível, mas das determinações de sua própria razão.
a) I - Aristóteles, II - Rousseau, III - Hegel, IV - Kant.
b) I - Kant, II - Aristóteles, III - Nietzsche, IV - Hegel.
c) I - Aristóteles, II - Hegel, III - Rousseau, IV - Kant.
d) I - Platão, II - Hegel, III - Aristóteles, IV - Rousseau.
e) I - Descartes, II - Nietzsche, III - Platão, IV - Kant.

41 - Examinando o significado do raciocínio indutivo, podemos afirmar:
a) Parte de uma lei universal, considerada válida para um determinado conjunto, aplicando-a aos dados particulares desse conjunto.
b) É um argumento capaz de persuadir pelo efeito psicológico que causa e não pela sua correção lógica.
c) Advém de casos particulares para alcançar uma verdade geral.
d) A não utilização desse raciocínio pelas ciências experimentais é evidenciada.
e) A certeza dada por esse raciocínio não depende da verificação empírica de casos particulares.

42 - Dentre as alternativas abaixo, marque aquela que indica o objeto de estudo da lógica.
a) Juízos de valor.
b) As leis formais do pensamento.
c) Razão e intuição.
d) A forma e a matéria.
e) Intuição e verdade.

43 - O homem enquanto ser moral se constitui gradativamente pessoa humana e vai construindo essa sua dimensão através da reta ação.
Indique os pontos que devem ser levados em conta para o agir ético-moral.
a) Atenção aos ditames da mídia e ao estabelecimento de critérios morais.
b) Vivência de atitudes virtuosas e disposição para agir de forma costumeira e sem limites.
c) Obediência às determinações sociopolíticas, sem o exercício da escolha consciente, levando a um agir casual.
d) Construção de hábitos que "orientem" o agir humano cotidiano para um relacionar-se mais cômodo.
e) Compreensão do sentido fundamental da liberdade, tomada de posição via consciência moral e o assumir da responsabilidade pelas ações praticadas.

44 - Foi na Idade Moderna que se fundamentaram teoricamente as diretrizes políticas as quais passaram a configurar o surgimento do Estado Nacional, estabelecendo as bases para as Teorias Políticas Contemporâneas.
Assinale a opção que retrata as novas relações sociais e políticas presentes naquela época.
a) As lutas populares - por liberdade e igualdade - são desencadeadas, criando um contrapoder social sem que se identifiquem avanços para efetivas mudanças democráticas.
b) A influência da nova classe burguesa defende o poder político não mais herdado, entretanto, sem estar atento aos direitos e deveres dos cidadãos.
c) O poder do Estado se exerce pela força: as leis são prescritas de forma verticalizada, a censura, a punição e as restrições revelam uma posição sociopolítica doutrinária.
d) A política, encarada como categoria autônoma, partindo de uma postura realista, passa a sustentar a ordem racional e laica, para traçar novas linhas que orientariam as idéias liberais e a democracia sob nova ótica.
e) A política da modernidade surge como contraponto ao poder teocrático da Idade Média manifestando posições divergentes que não levariam à estruturação de uma sociedade com maior participação nos cargos.

45 - No período da Idade Média em que a Escolástica se desenvolveu de maneira mais fecunda, identifica-se a filosofia aristotélico-tomista que utiliza, tanto as luzes da razão divina quanto as luzes da razão natural.
Diante desta assertiva, assinale a alternativa que evidencia essa visão filosófica.
a) A "Suma Teológica" de São Tomás de Aquino representa a mais alta expressão da possível conciliação entre a fé e a razão.
b) O conteúdo das verdades da revelação divina é contrário às verdades oriundas da razão.
c) Na Baixa Idade Média começam a haver mudanças fundamentais no campo da cultura, todavia, não se constata o desenvolvimento do gosto pelo racional.
d) Crer para compreender é o lema que norteia a base doutrinária do dogma cristão ao longo do pensamento tomista.
e) Diferentemente da Alta Idade Média, a filosofia cristã escolástica defende as verdades teológicas que predominam sobre a verdade intelectiva.

46 - A dimensão política do ser humano se constrói, constitui-se e alarga-se num longo processo de aprendizado, desde os pequenos espaços sociais até os mais complexos contextos. Sabendo-se que esse caminhar possibilita o grande desafio para o efetivo exercício da cidadania. Assinale a alternativa que ratifica esta assertiva.
a) Compreender que a cidadania se conquista politicamente da forma plena, mesmo numa sociedade dividida em classes.
b) Saber que existe uma política democrática que viabiliza mudanças econômicas, políticas, educacionais e acreditar nelas.
c) Reconhecer o aparato estatal e a tradição política conservadora do país e, ainda assim ter expectativa de que aconteçam mudanças qualitativas na sociedade.
d) Ter conhecimento legal e ser cônscio de que na sociedade democrática é assegurado o direito de todos à liberdade de pensamento, à manifestação de opinião, à associação, ao credo, de modo que a luta por esses direitos seja uma conseqüência da consciência de sua garantia.
e) Ser indiferente às questões políticas que perpassam e estão inseridas em todos os âmbitos de desenvolvimento da sociedade, admitindo que só a política partidária influencia as ações politizadas.

47 - Aristóteles, filósofo da Idade Antiga, centrou sua atenção numa questão essencial do filosofar - o ser - partindo do real enquanto substância, para compreendê-lo, e daí formular entendimento sobre o conhecer e o agir. Indique a alternativa abaixo que revela o seu projeto filosófico.
a) A essência do ser humano, ou de qualquer outro objeto do conhecimento, não é desvendada no próprio ser humano ou no objeto que esteja sendo investigado.
b) O ser real é constituído de dois co-princípios que são indissociáveis, sendo que um expressa a potência para ser e o outro a atualização do ser.
c) O mundo externo do sujeito é compreendido a partir do mundo racional, baseado em dois princípios.
d) O ser verdadeiro é abstrato e não representa a realidade concreta do ser dual.
e) As mutabilidades visíveis no cotidiano das coisas e da vida são perfeitamente conciliadas com a idéia de ser.

48 - "Habermas costuma ser descrito como "o último grande racionalista" (...) ele propõe, como nova perspectiva, outro conceito de razão: a razão dialógica, que brota do diálogo e da argumentação entre os agentes interessados numa determinada situação. (...) Para tanto, é necessária uma ação social que fortaleça as estruturas, capazes de promover as condições de liberdade e de não constrangimento imprescindíveis ao diálogo."
COTRIM,Gilberto.Fudamentos de Filosofia - História e Grandes Temas. São Paulo. Ed. Saraiva, 2002. pág. 226.
No trecho descrito acima, fica bem claro quando Habermas afirma:
a) O novo paradigma da razão defende que os sujeitos do processo do conhecimento sejam situados historicamente, embora não tenham um relacionamento mais efetivo.
b) A razão se desenvolve no mundo sociocultural e a verdade seria decorrente da adequação do pensamento à realidade.
c) Razão e verdade estão intimamente relacionadas e seus conteúdos não entram num consenso discursivo.
d) Cabe à razão instrumental levar ao alcance da razão emancipatória, para não ser sufocada pelo desenvolvimento do capitalismo.
e) O entendimento da verdade é fruto da ação comunicativa - verdade intersubjetiva, resultando daí a compreensão da razão interpessoal, que é processual e nunca definitiva.

49 - "Cabe ao filósofo acompanhar reflexiva e criticamente a ação pedagógica, de modo a promover a passagem "de uma educação assistemática (...) para uma educação sistematizada (alçada no nível da consciência filosófica)". (...) O filósofo indaga a respeito do homem que se quer formar, quais os valores emergentes que se contrapõem a outros já decadentes e quais os pressupostos do conhecimento subjacentes aos métodos e procedimentos utilizados. (...) A filosofia tem ainda tarefas bastante específicas que não podem ser desprezadas."
ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da Educação. São Paulo. Editora Moderna. 2000. p.108.
A respeito desta assertiva e de seus desdobramentos, é CORRETO afirmar:
a) A filosofia ajuda a pensar a educação do futuro, possibilita a desestruturação dos antigos modelos e mantém os atuais fazeres pedagógicos.
b) A filosofia, mesmo analisando a preponderância de uma determinada ciência nos fenômenos pedagógicos, não consegue evitar que a educação se transforme em pseudo-educação.
c) A educação sistemática recupera uma das suas funções mais importantes - que é a de não sucumbir à desrazão - entretanto, a filosofia colabora muito pouco nesse processo.
d) A filosofia procede a análises antropológicas, axiológicas e epistemológicas, além de observar as dimensões ética e política que estão subjacentes ao processo de educação formal integral das pessoas.
e) Somente a filosofia e as ciências biológicas poderão contribuir com os fundamentos do existir humano e a formação educacional do indivíduo, imbricados na realidade histórico-social.

50 - "...não há como aceitar a neutralidade da ciência, como se fosse possível a procura do "saber pelo saber". A ciência se encontra inextrincavelmente envolvida na moral e na política e o cientista tem uma responsabilidade social da qual não pode abdicar. Essas observações nos levam a refletir sobre a formação do cientista, que não deveria se restringir apenas aos conteúdos desse conhecimento às suas metodologias e práticas de pesquisa. Mais do que isso, é preciso que o futuro cientista tenha condições de examinar os pressupostos desse conhecimento e de sua atividade, de se perceber como pertencendo a uma comunidade, e de identificar os valores subjacentes à sua prática."
ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo: Editora Moderna, 2003. pág. 161.
A partir da leitura compreensiva do trecho acima e, considerando o papel da filosofia com relação à ciência e suas aplicações, observe as afirmações abaixo, marcando a alternativa que agrupa os itens que estão CORRETOS.
I. A ciência, para se constituir e se desenvolver, está sustentada na razão, na objetividade... porém, comporta valores, escolhe meios e fins, portanto, elementos de natureza subjetiva também se fazem presentes.
II. No progresso científico e tecnológico contemporâneo, constata-se o envolvimento das dimensões política, econômica e social, mas as implicações éticas do saber científico não são consideradas.
III. As condições para a prática da ciência se constituem como um campo de plena objetividade, de rigor científico, de independência quanto às referências axiológicas.
IV. A filosofia tem compromisso com a investigação dos fins e das prioridades a que a ciência se propõe, com a análise das condições em que se realizam as pesquisas e das conseqüências das técnicas utilizadas.
a) I e III, apenas.
b) II e IV, apenas.
c) I e IV, apenas.
d) III e IV, apenas.
e) I e II, apenas.

GABARITO:
31B - 32E - 33C - 34A - 35D - 36B - 37A - 38E - 39C - 40A - 41C - 42B - 43E - 44D - 45A - 46D - 47B - 48E - 49D - 50C
     

 
 
Sites parceiros:

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Fale conosco

Copyright © 2008-2014 Só Filosofia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.