Biblioteca Virtual
 Biografia de Filósofos
 História da Filosofia
 Laifis de Filosofia

 Eventos
 Resenhas
 Livros
 Entrevistas
 Jornais Brasileiros

 Oráculo
 Dicionário de Filosofia
 Vídeos de Filosofia
 Rádio Filosofia
 Como estudar Filosofia
 Dicas para Monografia
 Filos. e Outras Áreas
 Filos. na Sala de Aula

 Exercícios Comentados
 Jogos On-line
 Provas de Concursos

 Loja virtual
 Curso de Filosofia

 Curiosidades Filosóficas
 Escolas de Filosofia
 Filosofia Clínica
 Histórias Filosóficas
 Relato do Leitor
 Frase de um Leitor
 Charge da Semana
 Fil. para Crianças
 Lançamento de Livros
 Livros para Download
 Frase de Filósofos
 Uma Foto, uma História
 Trechos de Livros
 Enquetes
 Cursos de Extensão
 Fale Conosco

 

 

Provas de Concursos e do Vestibular

 
(01/Mar) Prova e Gabarito - Filosofia - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas - 2009
 
I. PROVA OBJETIVA

1. Qual das ideias abaixo não corresponde à Escola Positivista.
a) Os fatos sociais têm, como características, a exterioridade, anterioridade e a coercitividade.
b) O suicídio é um fato social.
c) Os fatos sociais são classificados por Durkheim como coisas.
d) O pensamento médio pode ser considerado como sinônimo de consciência coletiva.
e) O poder pode ser classificado em: tradicional, carismático e técnico racional.

2. "As paixões humanas só se detêm diante de uma força moral que elas respeitam. Se qualquer autoridade desse gênero inexiste, é a lei do mais forte que reina e, latente ou agudo, o estado de guerra é necessariamente crônico".
Este pensamento foi formulado por qual pensador dos citados abaixo e qual escola ele representa.
a) Auguste Comte - Escola Positivista.
b) Karl Marx - Escola Marxista.
c) Émile Durkheim - Escola Positivista.
d) Max Weber - Escola Weberiana.
e) Theodor Adorno - Escola de Chicago.

3. Na visão do senso comum, socialização tem o mesmo significado de universalização, isto é, socialização da educação seria o mesmo que educação para todos, socialização da saúde igual à saúde para todos, etc.. Na Sociologia, a palavra socialização tem um outro significado, e a comunicação simbólica tem uma importância fundamental para a concretização da socialização nas sociedades humanas. Com relação à socialização e à comunicação simbólica, assinale a única alternativa INCORRETA.
a) Socialização significa transmissão e assimilação de padrões de comportamento, normas, valores e crenças, bem como o desenvolvimento de atitudes e sentimentos coletivos pela comunicação simbólica. Já o conceito de comunicação simbólica pode ser descrito a partir da própria etimologia do termo. Comunicação simbólica é o mesmo que comunicação através de símbolos.
b) Socialização é o mesmo que aprendizagem, enquanto que comunicação simbólica é o mesmo que comunicação através de sinais gráficos, visuais, orais e nasais.
c) Socialização é o mesmo que linguagem emocional e comunicação simbólica é a comunicação humana processada através de símbolos.
d) Socialização é o mesmo que transmissão é assimilação de valores em uma determinada sociedade, e comunicação simbólica é a comunicação através de símbolos reconhecidos e valorados por uma determinada sociedade.
e) Socialização significa transmissão e assimilação de padrões de comportamento, normas, valores e crenças, bem como o desenvolvimento de atitudes e sentimentos coletivos pela comunicação simbólica. Comunicação simbólica é a comunicação humana processada através de símbolos.

4. "A sociedade não é simples soma de indivíduos, e sim sistema formado pela associação, que representa uma realidade específica com seus caracteres próprios. Sem dúvida, nada se pode produzir de coletivo se consciências particulares não existirem; mas esta condição necessária não é suficiente. É preciso ainda que as consciências estejam associadas, combinadas, e combinadas de determinada maneira; é desta combinação que resulta a vida social e, por conseguinte, é esta combinação que a explica. Agregando-se, penetrando-se fundindo-se, as almas individuais dão nascimento a um ser, psíquico se quisermos, mas que constitui individualidade psíquica de novo gênero" (Émile Durkheim - As Regras do Método Sociológico).
O trecho extraído mostra o conceito de "consciência coletiva". Assinale a única questão correta sobre o conceito de Émile Durkheim sobre "consciência coletiva".
a) A consciência coletiva é formada a partir do somatório das ideias e conceitos individuais.
b) A consciência coletiva é formada a partir dos valores da classe dominante, que é universalizado para toda sociedade.
c) Consciência coletiva é uma ação cujo significado, subjetivamente atribuído pelo sujeito ou sujeitos, tem como referência a conduta dos outros, orientando-se por esta em seu desenvolvimento.
d) A consciência coletiva é "conditio sine qua non" para a organização social, pois a consciência coletiva é, em síntese, a concepção durkheimiana da organização social.
e) A consciência coletiva não determina a existência dos homens, é a existência social que determina a sua consciência.

5. "O estudo sociológico de Émile Durkheim sobre o suicídio foi publicado no ano de 1897, e teve como principal motivação não somente estudar a especificidade de um fenômeno relevante, mas também comprovar a própria viabilidade de uma ciência social". (Émile Durkheim - O Suicídio). Com relação à esse autor, assinale a única alternativa INCORRETA.
a) No decorrer de sua vida, Durkheim se envolveu em três temas políticos: o caso Dreyfus, a Primeira Guerra Mundial e a questão da Sociologia aplicada à comunicação.
b) Durkheim observa que o estudo sociológico do suicídio lhe daria oportunidade de aplicar os princípios contidos em sua obra Regras do Método Sociológico.
c) Durkheim procurou estudar o suicídio com o intuito de demonstrar, cientificamente, com dados, que sobre ele (o suicídio) pode haver uma determinação social, externa ao indivíduo.
d) Cada sociedade tem, portanto, em cada momento de sua história, uma aptidão definida para o suicídio.
e) Existem duas espécies de causas extrassociais a que se pode atribuir, a priori, uma influência sobre a taxa de suicídios: são as disposições orgânico-psíquicas e a natureza do meio físico.

6. Karl Marx é considerado como um dos clássicos da Sociologia, juntamente com Émile Durkheim e Max Weber. O materialismo histórico é uma das principais ideias de Karl Marx, pois essa ideia tornou-se uma das mais revolucionárias teorias acerca do pensamento social, relacionando-se tanto no campo teórico como no campo da ação política. Qual das alternativas abaixo se aproxima do conceito de materialismo histórico?
a) Tem como base a defesa da evolução histórica a partir da evolução cultural, motivada pelo jusnaturalismo, que prevê a existência de direitos e leis naturais à qual os seres humanos estão eternamente presos.
b) A Doutrina Marxista vê o desenvolvimento da sociedade a partir do desenvolvimento da produção material, na qual a mudança na produção material leva à mudança no modo de produção, que por sua vez, leva à mudança na organização da sociedade.
c) A doutrina marxista é determinista, pois afirma que a mudança da produção de bens materiais sempre leva a uma mudança na sociedade, seja para melhor, seja para pior.
d) Período que compreende a transição do Capitalismo para o Socialismo na qual o Estado deixa de existir.
e) O sociólogo deve descobrir os possíveis sentidos das ações humanas presentes na realidade social que lhe interessa estudar.

7. Em relação à teoria weberiana, assinale a única alternativa INCORRETA.
a) O que garante a cientificidade de uma explicação é o método de reflexão e não diretamente o fato social.
b) Para Weber, existem três formas de poder: o carismático, o tradicional e o técnico irracional.
c) O Historicismo é entendido como uma tarefa do cientista como forma de compreensão das sociedades.
d) A tarefa do cientista é descobrir os possíveis sentidos das ações humanas presentes na realidade social que lhe interessa estudar.
e) A ação social gera efeitos sobre a realidade em que ocorre, e tais efeitos escapam ao controle e à previsão do agente.

8. Em relação às ideias de Karl Marx, assinale a única alternativa CORRETA.
a) Defende a ideia de que os fatos sociais são responsáveis pelas desigualdades sociais.
b) Defende a ideia de que o capitalismo financeiro foi o responsável pela perda do controle dos meios de produção pelo trabalhador.
c) Defende que as relações humanas são formadas por antagonismos e explorações que levam à luta de classes que, por sua vez, forma a mudança no modo de produção, que já tem em seu seio as contradições que mais à frente levará a uma nova mudança.
d) Defende a ideia de que, no modo de produção comunista ou comunitarista primitivo, era visível a noção de propriedade privada.
e) O modo de produção asiático foi o segundo modo de produção a surgir após dissolução do comunismo ou comunitarismo primitivo.

9. Assinale qual das alternativas abaixo não corresponde aos grupos de referência.
a) São aqueles cujas expectativas de comportamento os indivíduos levam em conta na condução de suas ações.
b) Grupos de referência podem ser positivos e negativos.
c) Grupos de referência positivos são aqueles cujas expectativas de comportamento os indivíduos buscam não atender.
d) Muitas vezes, os indivíduos vão tomar as referências positivas ao seu comportamento em grupos aos quais não pertencem.
e) Grupos de referência negativos são aqueles cujas expectativas de comportamento o indivíduo procura, de alguma forma, contestar.

10. Das instituições abaixo, assinale a única resposta que contém apenas instituições da sociedade civil.
a) Polícia, governo, administração, tribunais e escolas.
b) Escolas, igrejas, sindicatos, partidos políticos e famílias.
c) Sindicatos, partidos políticos, governo e igrejas.
d) Igrejas, sindicatos, escolas, famílias e administração.
e) Partidos políticos, igreja, família, escola e governo.

11. Um grupo social específico, quando exposto a novas experiências históricas, pode modificar certos aspectos de sua cultura. Assinale a única alternativa abaixo que corresponde a esse processo.
a) Parte integrante da vida social, já que a cultura é um sistema dinâmico.
b) Decorre, necessariamente, de uma situação de imposição política imposta ao grupo.
c) Compromete a reprodução do grupo em seus próprios termos.
d) Descaracterização do grupo porque sua tradição não poderá ser mais mantida.
e) Corresponde à perda de sua identidade cultural e de sua especificidade.

12. "... é principalmente através da assimilação de valores, crenças e normas que o indivíduo pode se comportar de maneira socialmente aprovado."
O texto acima refere-se ao conceito de:
a) papéis sociais.
b) normas sociais.
c) contatos sociais.
d) controle social.
e) fato social.

13. A definição de estratificação social, baseada na hierarquização do indivíduo, segundo seu nível de renda, grau de prestígio social, posse de bens materiais e nível de escolaridade, é própria da influência derivada da teoria sociológica:
a) materialista histórica.
b) estruturalista.
c) do conflito.
d) positivista.
e) funcionalista.

14. "... deslocamento das relações sociais de contextos locais de interação e sua reestruturação através de extensões indefinidas de tempo-espaço". Este trecho retirado do livro Consequências da Modernidade, refere-se a que ideia de Anthony Giddens?
a) Sistemas abstratos.
b) Desencaixe.
c) Reações de adaptação.
d) Realismo utópico.
e) Fato social.

15. "... é a denominação para cada uma das posições que o indivíduo ocupa simultaneamente". Este trecho refere-se a que tipo de status?
a) Status atribuído.
b) Status adquirido.
c) Status específico.
d) Status principal.
e) Status geral.

16. Hipérion: "Já chego lá, respondi. A palavra grandiosa, o uno em si mesmo diverso de Heráclito, só poderia ser encontrada por um grego, pois essa é a essência da beleza e antes de encontrá-la não havia filosofia alguma"
(HÖLDERLIN, Friedrich. Hipérion ou o eremita na Grécia. Petrópolis: Vozes, 1994, p.99).
Os pensadores pré-socráticos deram várias soluções ao tentarem explicar a diversidade e a transitoriedade das coisas do universo, reduzindo tudo a um ou mais princípios elementares.
Identifique se as afirmações abaixo são (V) verdadeiras ou (F) falsas:
I - "O ar é o princípio do movimento e de todas as mudanças", teria afirmado Anaxágoras, indicando, assim, um princípio material elementar, fundamento de toda a realidade.
II - Segundo Heráclito, o um é múltiplo e o múltiplo é um.
III - Conforme Parmênides, os sentidos atestam e conduzem à verdade absoluta do ser, e o discurso se move por teses e antíteses, pois essas são representações do devir.
IV - Para Demócrito de Abdera, todo cosmo se constitui de átomos, ou seja, partículas indivisíveis e invisíveis que, movendo-se e agregando-se no vácuo, formam todas as coisas.
V - Heráclito concebe o mundo como eterno devir, isto é, em estado de perene movimento, afinal a única coisa constante é a mudança.
Assinale a alternativa que contém as assertivas FALSAS:
a) I e IV.
b) I e III.
c) IV e V.
d) I, II e IV.
e) II e III.

17. Leia o trecho a seguir:
"E que existe o belo em si, e o bom em si, e, do mesmo modo, relativamente a todas as coisas que então postulamos como múltiplas, e, inversamente, postulamos que a cada uma corresponde uma ideia, que é única, e chamamos-lhes a sua essência." (PLATÃO. República. 8.ed. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1996, p.308.)
Em relação aos pensamentos de Sócrates e Platão e suas respectivas doutrinas, identifique se as afirmações abaixo são (V) verdadeiras ou (F) falsas:
I - No mito da caverna, Platão faz referência ao contraste parecer e ser, ou seja, aparência e realidade. O pensador também simboliza o processo de emancipação espiritual que o exercício da filosofia é capaz de realizar, libertando o indivíduo das sombras da ignorância e dos preconceitos.
II - Para Platão, o que é "em si" e permanece sempre da mesma forma é a Ideia, o ser verdadeiro e inteligível. Eis que Platão afirma que o mundo das coisas sensíveis é o único que pode ser conhecido, na medida em que é o único ao qual o homem realmente tem acesso.
III - As Ideias, diz Platão, estão submetidas a uma transformação contínua. Conhecê-las só é possível porque são representações mentais, sem existência objetiva. Por outro lado, Platão sustenta que há uma realidade que não nasce nem perece e que não pode ser captada pelos sentidos.
IV - Sócrates, ao afirmar que nada sabia, queria, com isso, sinalizar a necessidade de adotar uma nova atitude diante do conhecimento. O seu método compõe-se de duas partes: a maiêutica e a ironia. Para não ser condenado à morte, Sócrates negou, diante dos juízes, os princípios professados.
V - Platão confere às ideias uma existência real, e Sócrates procura o conhecimento indagando o homem.
Assinale a alternativa que contém as afirmativas FALSAS:
a) I, III e IV.
b) III e V.
c) II, IV e V.
d) I e II.
e) II, III e IV.

18. O trecho que segue foi extraído das Confissões, de Santo Agostinho:
"Quem nos mostrará o Bem? Ouçam a resposta: está gravada dentro de nós a luz do vosso rosto Senhor. Nós não somos a luz que ilumina a todo homem, mas somos iluminados por Vós."
A partir dos seus conhecimentos sobre as filosofias de Santo Agostinho e Tomás de Aquino, identifique qual das afirmações abaixo está CORRETA:
a) As cinco vias de Tomás de Aquino são argumentos diretos e evidentes da existência de Deus. Partem de afirmações gerais e racionais sobre a existência, para chegar a conclusões sobre as coisas sensíveis, particulares e verificáveis sobre o mundo natural.
b) Os argumentos de Santo Agostinho que provam a existência de Deus denotam a influência direta que ele teve do pensamento de Aristóteles, principalmente da Metafísica.
c) Para Santo Agostinho, a irradiação da luz divina faz com que conheçamos imediatamente as verdades eternas em Deus. Essas verdades eternas e necessárias não estão no interior do homem, porque seu intelecto é mutável e contingente.
d) Tomás de Aquino construiu uma argumentação para provar a existência de Deus à luz das ideias de Platão e de vários fragmentos da Bíblia.
e) Para Santo Agostinho, a irradiação da luz divina atua imediatamente sobre o intelecto humano, deixando-o ativo para o conhecimento das verdades eternas. Essas verdades, necessárias e imutáveis, estão no interior do homem.

19. Durante a Idade Média, a questão dos universais foi um dos grandes problemas debatidos pelos filósofos da época. Realismo, conceitualismo e nominalismo foram as soluções típicas do problema. Outra preocupação da época foi o da possibilidade ou impossibilidade de conciliar fé e razão. Santo Agostinho, sobre a relação fé e razão, protagonizou uma tese que se pode resumir na frase: "Credo ut intelligam" (Creio para entender). A partir dos seus
conhecimentos sobre a questão dos universais e da filosofia medieval, identifique as proposições verdadeiras:
I - O apogeu da patrística aconteceu no século XIII com Santo Tomás de Aquino (1225-1274), que, retomando o pensamento de Platão, fez a síntese mais bem elaborada da filosofia com o cristianismo durante a Idade Média.
II - O pensamento filosófico medieval, a partir do século IX, é chamado de escolástica. A filosofia escolástica tinha por problema fundamental levar o homem a compreender a verdade revelada pelo exercício da razão, contudo apoiado na Auctoritas, seja da Bíblia, seja de um padre da Igreja.
III - Para os nominalistas, o universal é apenas um conteúdo da nossa mente, expresso por um nome. O que significa dizer que os universais são apenas palavras, sem nenhuma realidade específica correspondente.
IV - No conceitualismo de Pedro Abelardo, os universais são conceitos, entidades mentais, que não existem na realidade, nem são meros nomes.
V - De acordo com a teoria da iluminação de Santo Agostinho, o ser humano recebe de Deus o conhecimento das verdades eternas. Tal como o sol, Deus ilumina a razão e torna possível o pensar correto. Em verdade, Santo Agostinho não conflita a fé com a razão, sendo esta última auxiliar e subordinada da fé.
Assinale a alternativa que contém as afirmativas VERDADEIRAS:
a) I, II e III
b) I, III e V
c) II e V
d) I, II e IV
e) II, III, IV e V

20. Os textos que seguem são de autoria de Jean-Paul Sartre:
"A doutrina que lhes estou apresentando é justamente o contrário do quietismo, visto que ela afirma: a realidade não existe a não ser na ação; aliás, vai longe ainda, acrescentando: o homem nada mais é do que o seu projeto; só existe na medida em que se realiza; não é nada além do conjunto de seus atos, nada mais que sua vida."
"Porém, se realmente a existência precede a essência, o homem é responsável pelo que é. Desse modo, o primeiro passo do existencialismo é o de pôr todo homem na posse do que ele é, de submetê-lo à responsabilidade total de sua existência. Assim, quando dizemos que o homem é responsável por si mesmo, não queremos dizer que o homem é apenas responsável pela sua estrita individualidade, mas que ele é responsável por todos os homens."
(SARTRE, Jean-Paul. Sartre: O existencialismo é um humanismo. São Paulo: Nova Cultural, 1987. (Os Pensadores))
Analise o que se afirma logo abaixo:
I - O homem é aquele que cria toda a realidade possível e imaginável. É o ser que cria o mundo todo a partir de sua existência.
II - Diferentemente dos objetos, só o ser humano é livre, está "condenado a ser livre", pois nada mais é que seu projeto; qual, consciente de sua existência, é totalmente responsável pela mesma.
III - O homem primeiro existe e posteriormente se define conforme suas escolhas e o que decide fazer de si mesmo.
IV - O existencialismo sartreano sofreu influências de Husserl, Heidegger, Jaspers e Max Scheler.
V - No vocabulário de Sartre, Engajamento significa a necessidade de o pensador estar voltado para a análise da situação concreta em que vive, tornando-se solidário nos acontecimentos sociais e políticos de seu tempo.
Assinale a alternativa que possui as afirmações CORRETAS:
a) III, IV e V.
b) I, III, IV e V.
c) I, II e III.
d) I, II, III e IV.
e) II, III, IV e V.

21. Leias as afirmações que seguem e identifique quais pertencem realmente ao pensamento de Aristóteles:
I - O silogismo aristotélico é a dedução lógica na qual uma conclusão é inferida a partir de suas premissas, a premissa menor e a premissa média, pela mediação do termo maior.
II - Com a teoria das quatro causas e a distinção entre ato e potência, Aristóteles buscou explicar a realidade do devir e da mudança a que estão submetidas as coisas causadas.
III - De acordo com Aristóteles, tudo o que acontece têm suas causas. Essas são a explicação ou o porquê de certa coisa ser o que é. Causa eficiente, final, formal e material são os quatro sentidos que Aristóteles distingue no termo causa.
IV - Aristóteles classificou a justiça em duas espécies básicas: distributiva, que denominou proporcional, e comutativa, por ele chamada retificadora ou corretiva.
V - É princípio da justiça distributiva, procurar equilibrar as vantagens e as desvantagens entre dois contratantes. Nos contratos involuntários, a pena infligida ao réu deve ser proporcional ao dano por ele provocado.
Assinale a alternativa que possui as asserções VERDADEIRAS sobre a filosofia aristotélica:
a) III, IV e V.
b) Todas.
c) II, III e IV.
d) I, II, IV e V.
e) I, III, IV e V.

22. "Se, porém, todo conhecimento se inicia com a experiência, isso não prova que todo ele derive da experiência."
(KANT, Immanuel. Crítica da razão pura. 3.ed. Trad. Manuela Pinto e Alexandre Morujão. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1994, p.36.)
Sobre Immanuel Kant e sua filosofia, é CORRETO afirmar:
I - O método de Kant consiste na crítica e na análise reflexiva da razão, a qual, primeiramente, deve conhecer a si mesma, fixando as condições de possibilidade do conhecimento, ou seja, o que pode ser conhecido e o que não.
II - Kant supera a dicotomia racionalismo-empirismo. Para o autor da Crítica da Razão Prática, da Crítica do Juízo e da Crítica da Razão Pura o conhecimento, que tem por objeto o fenômeno, é resultante da síntese entre os dados da experiência e as intuições e os conceitos a priori da razão.
III - Nos juízos sintéticos, o atributo desenvolve apenas a compreensão do sujeito. Os juízos sintéticos são muito certos e o espírito não poderia contestá-los sem contradizer-se; são meramente explicativos.
IV - Nos juízos analíticos, o atributo acrescenta alguma coisa ao sujeito.
V - De acordo com Kant, o conhecimento é constituído de matéria e forma. A matéria dos nossos conhecimentos são as próprias coisas, e a forma somos nós mesmos.
A alternativa que possui as assertivas INCORRETAS é:
a) IV e V.
b) II e III.
c) II, III e V.
d) III e IV.
e) I, II e V.

23. "Todas as ideias derivam da sensação ou reflexão. Suponhamos que a mente é, como dissemos, um papel em branco, desprovida de todos os caracteres, sem quaisquer ideias; como ela será suprida? (...) De onde apreende todos os materiais da razão e do conhecimento? A isso respondo, numa palavra, da experiência. Todo o nosso conhecimento está nela fundado, e dela deriva fundamentalmente o próprio conhecimento."
(LOCKE, John. Ensaio acerca do entendimento humano. São Paulo: Abril Cultural, 1973, p.165.)
"E é certo que estamos aventando aqui uma proposição que, se não é verdadeira, é pelo menos muito inteligível, ao afirmarmos que, após a conjunção constante de dois objetos - calor e chama, por exemplo, ou peso e solidez - é exclusivamente o hábito que nos faz esperar um deles a partir do aparecimento do outro."
(HUME, David. Investigações sobre o entendimento humano. São Paulo: Editora UNESP, 2004, p. 75.)
Com base nos seus conhecimentos sobre o empirismo e as teses de John Locke, Francis Bacon e David Hume, identifique quais das afirmações abaixo são VERDADEIRAS:
I - Locke distingue as qualidades do objeto em qualidades primárias e secundárias; as primeiras (solidez, extensão, movimento, etc.), existem realmente nas coisas; as segundas (cor, odor, sabor, etc.), são subjetivas e relativas.
II - De acordo com Locke, as impressões formam as ideias simples; a reflexão sobre as ideias simples, ao combiná-las, forma ideias complexas, como substância, Deus, alma, etc..
III - Apesar de afirmar que nosso conhecimento se origina na experiência, Locke admite que existam ideias inatas abstraídas das coisas pela reflexão.
IV - O que observamos, entende Hume, é a sucessão de fatos ou a sequência de eventos, e não o nexo causal entre esses mesmos fatos ou eventos.
V - No Novum Organum, Francis Bacon critica a lógica aristotélica, opondo ao modelo dedutivista a indução como método de descoberta. Nessa empreitada, Bacon sinaliza os preconceitos e noções falsas que dificultam a apreensão da realidade, os quais ele identifica como ídolos. São eles: os ídolos da tribo, os ídolos da caverna, os ídolos do foro e os ídolos do teatro.
Assinale a alternativa que for CORRETA:
a) Todas as afirmativas são verdadeiras.
b) Apenas a I é falsa.
c) Apenas a III é falsa.
d) Apenas a V é falsa.
e) Duas afirmativas são falsas.

24. Em relação ao seu Tractatus Logico-Philosophicus, Wittgenstein prefaciou:
"Poder-se-ia talvez apanhar todo o sentido do livro com estas palavras: o que se pode em geral dizer, pode-se dizer claramente; e sobre aquilo de que não se pode falar, deve-se calar. (...) O livro pretende, pois, traçar um limite para o pensar, ou melhor - não para o pensar, mas para a expressão dos pensamentos: a fim de traçar um limite para o pensar, deveríamos poder pensar os dois lados desse limite (deveríamos, portanto, poder pensar o que não pode ser pensado)." (WITTGENSTEIN, Ludiwig. Tractatus Logico-Philosophicus. São Paulo: Edusp, 1994, p.131.)
Sobre a filosofia analítica e as ideias de Wittgenstein, é CORRETO afirmar que:
I - A figuração lógica dos fatos é o pensamento.
II - O sentido de uma função de verdade de p é uma função do sentido de p. (A negação inverte o sentido da proposição). "~p" é verdadeira se "p" é falsa. Portanto, na proposição verdadeira "~p", "p" é uma proposição falsa.
III - A filosofia limita o território disputável da ciência natural. Cumpre-lhe delimitar o pensável e, com isso, o impensável. Cumpre-lhe limitar o impensável de dentro, através do pensável. Ela significará o indizível ao representar claramente o dizível.
IV - Os limites de minha linguagem significam os limites de meu mundo. A lógica preenche o mundo; os limites do mundo são também seus limites. Na lógica, portanto, não podemos dizer: há no mundo isso e isso, aquilo não.
V - A filosofia analítica diferencia-se do empirismo lógico, porque concentra sua atenção na linguagem comum e não na linguagem científica.
Assinale a alternativa CORRETA:
a) Apenas as afirmativas II e a V são falsas.
b) Apenas a afirmativa I é falsa.
c) Apenas a afirmativa III é falsa.
d) Apenas a afirmativa V é falsa.
e) Nenhuma afirmativa é falsa.

25. Seduzido pelas ciências matemáticas, devido ao caráter de evidência e rigor que lhes é peculiar, pretende Descartes aplicar o método referente às mesmas, mas não somente às quantidades abstratas, mas também à realidade concreta e constituir, dessa arte, uma espécie de matemática universal, que abrace todo o domínio do conhecimento e lhe comunique a certeza e a evidência acabadas e perfeitas.
A partir de seus conhecimentos sobre a filosofia cartesiana, identifique se as afirmativas abaixo são verdadeiras ou falsas:
I - Segundo Descartes, o que caracteriza natureza do mundo é a matéria e o movimento (res extensa), em oposição à natureza espiritual do pensamento (res cogitans).
II - Descartes acredita demonstrar a existência de Deus partindo da existência do mundo, enquanto pressupõe uma causa por sua vez não causada.
III - Tendo como exemplo a proposição: "penso, logo existo", Descartes concluiu que uma proposição qualquer só pode ser considerada como verdadeira se ela tiver sido provada com base na experiência.
IV - As ideias claras e distintas são ideias gerais que derivam do particular. Para Descartes, não há verdades evidentes, de modo que para se obter conhecimento sobre qualquer assunto, é necessário realizar longas séries de demonstrações difíceis, tais como aquelas que são habitualmente desenvolvidas pelos geômetras.
V - As ideias inatas não estão sujeitas a erro pois se originam da razão, independentemente das ideias formadas pela ação dos sentidos e das outras que nós formamos pela imaginação. São inatas, não no sentido de o homem nascer com elas, mas como resultantes exclusivas da capacidade de pensar.
Assinale a alternativa CORRETA:
a) Todas as proposições são verdadeiras.
b) Apenas a proposição II é falsa.
c) Apenas a proposição III é falsa.
d) Apenas a proposição IV é falsa.
e) As proposições II, III e IV são falsas.

26. "Denomino problema da demarcação o problema de estabelecer um critério que nos habilite a distinguir entre as ciências empíricas, de uma parte, e a matemática e a lógica, bem como os sistemas "metafísicos", de outra. Esse problema foi abordado por Hume, que tentou resolvê-lo. Com Kant, tornou-se o problema central da teoria do conhecimento." (POPPER, Karl. A lógica da pesquisa científica. São Paulo: Cultrix, 1972, p.35.)
A partir do texto e dos seus conhecimentos sobre Popper, ciência e epistemologia, identifique quais afirmativas são verdadeiras:
I - A ciência caracteriza-se como um sistema de conhecimentos, expressos por proposições gerais e objetivas sobre a realidade empírica; trata-se de um conhecimento construído por um processo de raciocínio rigoroso e metodicamente conduzido, baseado na experiência, permitindo explicar, prever e atuar sobre os fenômenos.
II - Os enunciados metafísicos não fazem parte do discurso científico por não serem passíveis de falseamento.
III - Os enunciados metafísicos devem ser eliminados do discurso científico por serem destituídos de conteúdo cognitivo.
IV - Levando em consideração a solução apresentada por Karl Popper ao problema da indução nos métodos de investigação científica, é correto afirmar que, para ele, o método científico é dedutivo e racional.
V - Para Popper, o que garante a verdade do discurso científico é a condição de refutabilidade, ou seja, quando uma teoria resiste à refutação, ela é corroborada, confirmada.
Assinale a alternativa CORRETA:
a) Todas as proposições são verdadeiras.
b) Apenas a proposição II é falsa.
c) Apenas a proposição III é falsa.
d) Apenas a proposição IV é falsa.
e) As proposições III e IV são falsas.

27. "O saber que é poder não conhece nenhuma barreira, nem na escravização da criatura, nem na complacência em face dos senhores do mundo. Do mesmo modo que está a serviço de todos os fins da economia burguesa na fábrica e no campo de batalha, assim também está à disposição dos empresários, não importa sua origem."
(ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Marx. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1991, p.20.)
Com base no texto e nos seus conhecimentos sobre os pensadores da Escola de Frankfurt, é CORRETO afirmar:
I - A indústria cultural desenvolve o senso crítico e a autonomia de seus consumidores.
II - Reproduz bens culturais que nascem espontaneamente das massas, pois promove a imaginação e a espontaneidade de seus consumidores.
III - A razão instrumental é o próprio exercício da racionalidade científica, típica do positivismo, que visa à dominação da natureza para fins lucrativos, colocando a ciência e a técnica a serviço do capital.
IV - A indústria cultural "vende" cultura. Ora, de acordo com as regras do mercado capitalista e da ideologia da indústria cultural, até as artes são mercadorias, como tudo que existe no capitalismo; ou seja, massificou-se para o consumo rápido no mercado da moda e nos meios de comunicação de massa, transformando-se em propaganda e publicidade, sinal de status social, prestígio político e controle cultural.
V - A indústria cultural padroniza e nivela a subjetividade e o gosto de seus consumidores.
Assinale a alternativa que for CORRETA:
a) As afirmativas I e II são falsas.
b) As afirmativas III, IV e V são falsas.
c) Apenas a III é verdadeira.
d) Apenas a V é falsa.
e) Nenhuma afirmativa é verdadeira.

28. "Galileu viu em Arquimedes o único cientista verdadeiro da Grécia, pois já revelava alguns aspectos fundamentais da experiência moderna: medidas sistemáticas, determinação da influência de cada fator que atua no fenômeno e enunciação do resultado sob forma de lei geral." (ARANHA, Maria; MARTINS, Maria. Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo: Moderna, 1993, p. 136.)
A partir do texto acima e de seus conhecimentos sobre ciência, é correto afirmar que:
I - Com Galileu Galilei, o experimento torna-se parte do método científico; torna-se um marco do novo espírito da ciência. Com seus experimentos, Galileu refuta a tese aristotélica de que o peso de um corpo depende de seu tamanho.
II - À condenação de 1633, Galileu Galilei reagiu com a abjuração, mas continuou a pesquisa científica e os contatos com os outros cientistas de sua época.
III - O mecanicismo constituiu-se em um aspecto importante da ciência moderna. A natureza e o próprio ser humano são comparados a uma máquina, isto é, a um conjunto de mecanismos cujas leis precisam ser descobertas.
IV - Galileu defende o desenvolvimento de uma ciência voltada para os aspectos objetivos e mensuráveis da natureza, em oposição à física qualitativa aristotélica.
V - Galileu pensa que uma ciência quantitativa da natureza é possível graças ao fato de que a própria natureza está configurada de modo a exibir ordem e simetrias matemáticas.
Assinale a alternativa CORRETA:
a) Todas as proposições são verdadeiras.
b) Apenas a proposição II é falsa.
c) Apenas a proposição III é falsa.
d) Apenas a proposição IV é falsa.
e) As proposições III e IV são falsas.

29. Sobre cidadania e as concepções éticas dos filósofos gregos, Kant, Nietzsche, Marx e Habermas, é CORRETO afirmar que:
I - Sócrates, Platão e Aristóteles têm em comum a concepção de que a virtude resulta do trabalho reflexivo, da sabedoria, do controle racional dos desejos e paixões. Os homens gregos são antes de tudo cidadãos, membros integrantes de uma comunidade, de modo que a ética se acha intrinsecamente ligada à política.
II - Os valores que constituem a moral aristocrática dos senhores são, ao ver de Nietzsche, eternos e invioláveis. Devem orientar a humanidade com uma força dogmática, de modo que o homem não se perca.
III - Para Kant, a vontade humana é verdadeiramente moral quando regida por imperativos categóricos. O imperativo categórico é incondicionado, absoluto e voltado para a realização da ação, tendo em vista o dever.
IV - Admite Marx que as condições da moral verdadeira só existiriam na sociedade sem Estado e sem propriedade privada. Ora, mesmo que a moral diga respeito à esfera pessoal, não há como viver moralmente e com cidadania em um mundo que ainda não tenha instaurado a ordem da justiça social.
V - Em sua teoria da ação comunicativa, Habermas desenvolve elementos para a compreensão da ética discursiva. Esta é uma teoria da moral que recorre à razão para sua fundamentação. A razão comunicativa é processual e construída a partir da relação entre os sujeitos, enquanto seres capazes de se posicionarem criticamente diante das normas. Assim sendo, a validade das normas depende do consenso encontrado a partir do grupo, do conjunto dos indivíduos.
Assinale a alternativa que só possui afirmações VERDADEIRAS:
a) III, IV e V.
b) II, III, IV e V.
c) II, III e IV.
d) I, II, IV e V.
e) I, III, IV e V.

30. Para Husserl, a fenomenologia está encarregada de separar psicologia e filosofia, de preservar o privilégio do sujeito do conhecimento ou consciência reflexiva diante dos objetos e de ampliar o conceito de fenômeno. De acordo com este autor, o termo intencionalidade indica:
a) o conjunto das intenções do ato de conhecer.
b) o componente da vontade que acompanha todo ato da percepção.
c) a tensão em direção do mundo concreto que anima todo ato de conhecer.
d) o componente da realidade que acompanha o ato da percepção.
e) a relação entre ato perceptivo e dado percebido.

GABARITO:
01E - 11A - 21C
02C - 12D - 22D
03C - 13E - 23C
04D - 14B - 24E
05A - 15C - 25E
06B - 16B - 26C
07B - 17E - 27A
08C - 18E - 28A
09C - 19E - 29E
10B - 20E - 30E
     

 
 
Sites parceiros:

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Fale conosco

Copyright © 2008-2014 Só Filosofia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.