Biblioteca Virtual
 Biografia de Filósofos
 História da Filosofia
 Laifis de Filosofia

 Eventos
 Resenhas
 Livros
 Entrevistas
 Jornais Brasileiros

 Oráculo
 Dicionário de Filosofia
 Vídeos de Filosofia
 Rádio Filosofia
 Como estudar Filosofia
 Dicas para Monografia
 Filos. e Outras Áreas
 Filos. na Sala de Aula

 Exercícios Comentados
 Jogos On-line
 Provas de Concursos

 Loja virtual
 Curso de Filosofia

 Curiosidades Filosóficas
 Escolas de Filosofia
 Filosofia Clínica
 Histórias Filosóficas
 Relato do Leitor
 Frase de um Leitor
 Charge da Semana
 Filosofia em Quadrinhos
 Fil. para Crianças
 Lançamento de Livros
 Livros para Download
 Frase de Filósofos
 Uma Foto, uma História
 Trechos de Livros
 Enquetes
 Cursos de Extensão
 Fale Conosco

 

 

Provas de Concursos e do Vestibular

 
(17/Dez) Prova e Gabarito - Professor de Filosofia - Escola Bosque - Universidade da Amazônia - 2008
 
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS - FILOSOFIA

NAS QUESTÕES NUMERADAS DE 31 A 50, ASSINALE A ÚNICA ALTERNATIVA QUE RESPONDE CORRETAMENTE AO ENUNCIADO.

31. Várias condições históricas favoreceram o nascimento da Filosofia na Grécia Antiga. Dentre elas, é correto afirmar:
A) A expansão do império macedônico, o fim da guerra de Tróia e a descentralização do poder político de Atenas.
B) As grandes invenções da época, tais como: a invenção da escrita alfabética, do telescópio e da bússola.
C) As viagens marítimas que colocaram os gregos em contato com os conhecimentos produzidos por outros povos, sobretudo com as culturas mais avançadas do Oriente.
D) Os acontecimentos políticos que introduziram um aspecto novo e decisivo: a participação dos escravos, estrangeiros e mulheres na vida pública.

32. A filosofia e a ciência são formas de conhecimento humano que se distinguem fundamentalmente, mas que também se aproximam, em maior ou menor grau quando emitimos juízos sobre a realidade. Desse modo, é correto afirmar:
1- A filosofia exige fundamentação teórica e livre crítica, cujo conhecimento sistemático se volta para o ser e para o valor das coisas. Mas, a ciência procura objetivamente as estruturas universais e necessárias das coisas investigadas.
2- A filosofia se caracteriza por um conhecimento quantitativo, pois busca medidas, padrões, critérios de comparação e de avaliação para coisas que parecem ser diferentes. Mas, a ciência é um conhecimento reflexivo e lógico que exige o despertar da consciência crítica de si e do outro.
3- A filosofia é conhecimento racional, e essa racionalização se caracteriza por pretender alcançar uma adequação entre pensamento e realidade, isto é, entre explicação e aquilo que se procura explicar. Mas, a ciência é conhecimento homogêneo, sobretudo por buscar as leis gerais de funcionamento dos fenômenos, que são as mesmas para fatos que nos parecem diferentes.
4- Na filosofia, os modos da consciência se encontram geralmente emaranhados de tal forma que suas noções se caracterizam por uma aglutinação acrítica e ametódica de juízos. Mas, a ciência é conhecimento particular e metódico, por delimitar o seu objeto de investigação e realizar experimentações com precisão e técnica.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

33. Dentre as correntes da filosofia moderna, destaca-se, na França, o Racionalismo, de René Descartes, que se apresentou como uma resposta ao problema gnosiológico do século XVII. Analise as afirmativas e indique qual a fonte verdadeira e determinante do conhecimento humano:
1- Descartes afirmava que tudo que conhecemos, que todas as idéias que temos, eram adquiridas, derivam da experiência.
2- O Racionalismo de Descartes acreditava na possibilidade de conhecer e de chegar à verdade somente pela recuperação da razão.
3- À crença na razão, Descartes chega por meio de um processo em que, usando a dúvida como procedimento metódico, estende-se a tudo o que o cerca.
4- O conhecimento tinha, para Descartes, limites que eram dados pelos sentidos que apreendem seus objetos (mundo exterior ou operações da mente) e, pode-se dizer que era limitado, também, pelo objeto, já que toda e qualquer idéia dele depende.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

34. Em sua obra Novum organum, Francis Bacon destaca quatro gêneros de ídolos que bloqueiam a mente humana e prejudicam a ciência. Está correto afirmar que esses ídolos são:
A) Ídolos da tribo, ídolos da caverna, ídolos do foro e ídolos do templo.
B) Ídolos da tribo, ídolos da escola, ídolos da caverna e ídolos do foro.
C) Ídolos da tribo, ídolos da caverna, ídolos do foro e ídolos do teatro.
D) Ídolos da escola, ídolos da tribo, ídolos da caverna e ídolos do mercado.

35. Para combater os erros provocados pelos ídolos, Francis Bacon propôs o método indutivo de investigação, que cumpriria algumas etapas consecutivas, como é o caso da alternativa:
A) Observação da natureza, organização racional, explicações gerais (hipóteses) e experimentações.
B) Observação da natureza, organização racional, explicações gerais (hipóteses) e introspecção.
C) Concepção mística da natureza, organização racional, explicações gerais (hipóteses) e experimentações.
D) Concepção emocional da natureza, organização racional, explicações gerais (hipóteses) e experimentações.

36. Entre os séculos XVI ao XVIII, os filósofos formularam diversas epistemologias ou teorias do conhecimento. Entretanto, uma importante vertente dessa investigação foi a empirista. Em especial, no que diz respeito ao empirismo filosófico deste período, podemos afirmar que os filósofos mais famosos foram os empiristas ingleses. São eles:
A) Thomas Hobbes, John Locke, George Berkeley e Bertrand Russell.
B) Francis Bacon, George Berkeley, Husserl e John Locke.
C) Isaac Newton, John Locke, Bertrand Russell e Thomas Hobbes.
D) Francis Bacon, John Locke, George Berkeley e David Hume.

37. Para entender a filosofia de Hegel, é conveniente situar alguns pontos fundamentais a partir dos quais se desenvolve a sua reflexão. São estes:
1- Entender a realidade como Espírito é entendê-la não apenas como substância, mas também como sujeito.
2- A realidade, enquanto Espírito, possui uma vida própria, um movimento dialético.
3- O movimento do real ou do Espírito se realiza em três momentos: o primeiro, do ser em-si; o segundo, do ser outro ou fora-de-si; e o terceiro, que seria o retorno, do ser para-si.
4- No Espírito há três momentos: o Espírito subjetivo, o Espírito objetivo, e o Espírito absoluto.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

38. Contrapondo sua filosofia ao Idealismo hegeliano, Marx afirma na introdução do livro Ideologia Alemã, que:
1- Tudo que é real é racional, tudo que é racional é real.
2- (...) Os nossos pressupostos são os indivíduos reais, a sua ação e as suas condições materiais de vida.
3- O ser que se nega e se supera se constitui Idéia, unidade absoluta do conceito e da objetividade.
4- O modo pelo qual os homens produzem os seus meios de vida depende, inicialmente, da constituição mesma dos meios de vida encontrados aí e a ser produzidos.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

39. O tema geral da Filosofia da Ciência é o desenvolvimento da reflexão crítica sobre os fundamentos do saber científico. Esse tema desdobra-se numa série de questões, tais como:
1- A ciência como encantamento do mundo, habitada por forças maravilhosas e poderes admiráveis que agem magicamente.
2- A Filosofia das Ciências, estudando as mudanças científicas, impôs um desmentido às idéias de evolução e progresso e compreendeu que as elaborações científicas e os ideais de cientificidade são diferentes e descontínuos.
3- Estudo do método de investigação científica, classificação da ciência, natureza das teorias científicas e sua capacidade de explicar a realidade, papel da ciência e sua utilização na sociedade.
4- A retomada do interesse por questões metafísicas é uma característica central da ciência contemporânea.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

40. Sobre a relação entre ciência e poder, Horkheimer e Adorno diriam que o ditador trata o homem como o homem trata a natureza: ele os conhece para melhor os controlar. Assim, com essa Teoria Crítica da ciência, é correto afirmar que:
1- A insaciável sede de conhecimento transformou o mundo num inferno tecnológico e causou certa regressão dos valores humanos.
2- Foram os frankfurtianos Horkheimer e Adorno que criticaram o critério da verificabilidade e propuseram como única possibilidade para o saber científico o critério da refutabilidade ou da falseabilidade.
3- Na medida em que a razão se torna instrumental, a ciência vai deixando de ser uma forma de acesso aos conhecimentos verdadeiros para tornar-se um instrumento de dominação, poder e exploração.
4- A razão instrumental também foi designada com a expressão razão iluminista pelos frankfurtianos Horkheimer e Adorno.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

41. Entre as explicações sobre a origem da vida política, três foram as principais e as mais duradouras. Deste modo, é correto afirmar que:
A) as inspiradas no mito das Idades da Pedra. As inspiradas pela obra do poeta romano Ovídio: As metamorfoses. As teorias que afirmam que a política decorre da Natureza e que a Cidade existe por Natureza.
B) as inspiradas no mito das Idades do Homem ou da Idade de Ouro. As inspiradas pela obra do poeta grego Hesíodo: O trabalho e os dias. As teorias que afirmam que a política decorre da Natureza e que a Cidade existe por Natureza.
C) as inspiradas no mito das Idades do Homem ou da Idade de Ouro. As inspiradas pela obra do poeta romano Ovídio: As metamorfoses. As teorias que afirmam que não é preciso buscar nos deuses, nas leis ou nas técnicas a origem da Cidade, basta conhecer a natureza humana para nela encontrar a causa da política.
D) as inspiradas no mito das Idades da Pedra. As inspiradas pela obra do poeta grego Hesíodo: A Ilíada e a Odisséia. As teorias que afirmam que não é preciso buscar nos deuses, nas leis ou nas técnicas a origem da Cidade, basta conhecer a natureza humana para nela encontrar a causa da política.

42. Os regimes políticos, do ponto de vista da arche (o que está à frente, o que tem comando), são: monarquia, oligarquia, poliarquia e anarquia. Todavia, os seus respectivos sentidos corretos são:
A) Monarquia: governo de um só (monas), oligarquia: governo de único rei (oligos), poliarquia: governo de muitos (polos) e anarquia: desgoverno (ana).
B) Monarquia: governo de um só (monas), oligarquia: governo de ninguém (oligos), poliarquia: governo de muitos (polos) e anarquia: governo de poucos (ana).
C) Monarquia: governo de alguns (monas), oligarquia: governo de poucos (oligos), poliarquia: muitos governantes (polos) e anarquia: desgoverno (ana).
D) Monarquia: governo de um só (monas), oligarquia: governo de alguns (oligos), poliarquia: governo de muitos (polos) e anarquia: governo de ninguém (ana).

43. Do ponto de vista do Kratos (o poder ou autoridade suprema), os regimes políticos são: autocracia, aristocracia e democracia. Entretanto, os sentidos corretos dessas palavras são, respectivamente:
A) Autocracia (poder de uma pessoa reconhecida como rei), aristocracia (poder dos melhores), democracia (poder do povo).
B) Autocracia (poder dos melhores), aristocracia (poder de uma pessoa reconhecida como rei), democracia (poder do povo).
C) Autocracia (governo por si próprio), aristocracia (poder de uma pessoa reconhecida como rei), democracia (poder do povo).
D) Autocracia (poder de uma pessoa reconhecida como rei), aristocracia (nobreza), democracia (poder dos melhores).

44. Quem é o soberano? Hobbes e Rousseau diferem na resposta a essa pergunta. Assim, é correto afirmar:
1- Para Hobbes, o soberano pode ser um rei, um grupo de aristocratas ou uma assembléia democrática.
2- Para Hobbes, o governante não é o soberano, mas o representante da soberania popular.
3- Para Rousseau, o soberano é o povo, entendido como vontade geral, pessoa moral coletiva livre e corpo político de cidadãos.
4- Para Rousseau, a soberania pertence de modo absoluto ao Estado que, por meio das instituições públicas, tem o poder para promulgar e aplicar as leis.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

45. Sobre o pensamento político, há inúmeras questões e respostas elaboradas ao longo da história. Das formulações mais célebres do pensamento político e seus autores, está correto dizer que:
1- para Jean-Jacques Rousseau, em sua obra o Leviatã, o Estado é comparado a uma criação monstruosa do homem, destinada a pôr fim à anarquia e ao caos da comunidade primitiva.
2- para Thomas Hobbes, quando os interesses egoístas predominam, cada um se torna um lobo para o outro (homo homini lupus). As disputas provocam a guerra de todos contra todos (bellum omnium contra omnes), com graves prejuízos para a indústria, a agricultura, a navegação, o desenvolvimento da ciência e o conforto de todos.
3- Nicolau Maquiavel recusa a figura do bom governo encarnada no príncipe virtuoso, portador das virtudes cristãs. O príncipe precisa ter virtu, mas esta é propriamente política, referindo-se às qualidades do dirigente para tomar e manter o poder, mesmo que para isso deva usar a violência, a mentira, a astúcia e a força.
4- John Locke desenvolve uma teoria socialista que desmistificou a política liberal. Para ele, as relações fundamentais de toda sociedade humana são as relações de produção, que correspondem a um certo estágio das forças produtivas.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

46. Para compreender o sujeito ético ou moral, isto é, a pessoa, é necessário conceber algumas condições.
Entre estas condições, está correto afirmar que o (a):
1- sujeito ético moral é heterônomo.
2- sujeito ético moral é ser dotado de vontade e consciente de si e dos outros.
3- pessoa é incapaz para deliberar e decidir, uma vez que sempre existe alguém para lhe dizer o que fazer.
4- pessoa é ser responsável e livre.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

47. Considerando a obra nietzscheana A genealogia da moral, há em Nietzsche uma concepção ética contrária à racionalista. Deste modo, é correto afirmar:
1- Transgredir normas e regras estabelecidas é a verdadeira expressão da liberdade e somente os fortes são capazes dessa ousadia.
2- A força vital se manifesta como saúde do corpo e da alma, como força da imaginação criadora. Por isso, os fortes desconhecem angústia, medo, remorso, humildade e inveja.
3- A moral racionalista foi erguida com finalidade repressora e não para garantir o exercício da liberdade.
4- A moral racionalista transformou tudo o que é natural e espontâneo nos seres humanos em vício, falta, culpa, e impôs a eles, com os nomes de virtude e dever, tudo o que oprime a natureza humana.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

48. Há várias formas de compreensão do sentido da educação na realidade social, todavia, há uma concepção de educação que pode ser expressa como um meio de transformação da sociedade. Assim, é correto afirmar que a tendência transformadora:
A) propõe uma ação pedagógica otimista, do ponto de vista político, acreditando que a educação tem poderes quase que absolutos sobre a sociedade.
B) é crítica em relação à compreensão da educação na sociedade, porém pessimista, não vendo qualquer saída para ela, a não ser submeter-se aos seus condicionantes.
C) propõe compreender a educação dentro de seus condicionantes, desvendar e utilizar-se das próprias contradições da sociedade, para trabalhar criticamente pela emancipação do homem social.
D) pretende "curar" a sociedade de suas mazelas, adaptando os indivíduos ao modelo ideal de sociedade, conforme os interesses dominantes.

49. Na visão de Louis Althusser, façam o que fizerem os professores - lutem, melhorem suas práticas, melhorem seus métodos e materiais -, tudo será em vão, já que sempre reproduzirão a ideologia dominante e, pois, a sociedade vigente. Neste sentido, a escola é um dos Aparelhos Ideológicos do Estado porque:
A) mantém a ideologia do Estado, visando à democratização do saber escolar e às relações de produção.
B) interage o saber da classe dominante com o saber da classe dominada, como estratégia de manutenção do status quo e das relações de produção.
C) reproduz a formação dos agentes responsáveis pela operacionalização do sistema de produção, visando à transformação do status quo e das relações de produção.
D) transmite o saber produzido pela classe dominante, tornando-se instrumento de manutenção do status quo e das relações sociais de produção.

50. Sob os efeitos da massificação da indústria e consumo culturais, as artes correm o risco de perder algumas de suas principais características. É correto afirmar, sobre os riscos que podem ocorrer:
1- de expressivas, tornarem-se reprodutivas e repetitivas.
2- de trabalho de criação, tornarem-se eventos para consumo.
3- de experimentação do novo, tornarem-se consagração do consagrado pela moda e pelo consumo.
4- perdida a aura, tornarem-se massificadas para consumo rápido no mercado da moda e nos meios de comunicação de massa.
São corretas as afirmativas:
A) 1, 2, 3 e 4.
B) 2 e 4, somente.
C) 1 e 3, somente.
D) 2 e 3, somente.

GABARITO:
31-C
32-C
33-D
34-C
35-A
36-D
37-A
38-B
39-D
40-C
41-B
42-D
43-A
44-C
45-D
46-B
47-A
48-C
49-D
50-A
     

 
 
Sites parceiros:

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Fale conosco

Copyright © 2008-2014 Só Filosofia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.