Biblioteca Virtual
 Biografia de Filósofos
 História da Filosofia
 Laifis de Filosofia

 Eventos
 Resenhas
 Livros
 Entrevistas

 Oráculo
 Dicionário de Filosofia
 Vídeos de Filosofia
 Rádio Filosofia
 Como estudar Filosofia
 Dicas para Monografia
 Filos. e Outras Áreas
 Filos. na Sala de Aula

 Exercícios Comentados
 Jogos On-line
 Provas de Concursos

 Curso de Filosofia

 Curiosidades Filosóficas
 Escolas de Filosofia
 Filosofia Clínica
 Histórias Filosóficas
 Relato do Leitor
 Frase de um Leitor
 Charges
 Fil. para Crianças
 Lançamento de Livros
 Livros para Download
 Frase de Filósofos
 Uma Foto, uma História
 Trechos de Livros
 Enquetes
 Cursos de Extensão
 Fale Conosco

 

 

Provas de Concursos e do Vestibular

 
(25/Nov) SEDUC/AM - Intituto Acesso - 2018
 
Conhecimentos Específicos

Questão: 26
Em suas obras Crítica da razão prática e Fundamentação da metafísica dos costumes, o filósofo alemão Kant (1724 - 1804), defende a razão humana como legisladora, capaz de elaborar normas universais. Reforça a ideia de que um ato só pode ser considerado moral quando praticado de forma autônoma, consciente.
"Age apenas segundo uma máxima [um princípio] tal que possas ao mesmo tempo querer que ela se torne lei universal." KANT. Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Lisboa: Edições 70, 1988. (Textos Filosóficos).
Essa exigência foi denominada por Kant de:
A) Fundamentação ideológica da moral.
B) Fundamentação histórico-social.
C) Ética do livre-arbítrio.
D) Imperativo categórico.
E) Ética discursiva.

Questão: 27
"A filosofia não é uma teoria, mas uma atividade." WITTGENSTEIN, Ludwig. Tractatus Logico - Philosophicus, 4.112)
"Não se ensina filosofia, mas a filosofar." (Kant)
Atualmente, cada vez mais professores de filosofia se veem na reflexão que não envolve apenas a possibilidade de ensinar filosofia, mas que filosofia ensinar.
Com relação a esta problemática que a filosofia na atualidade enfrenta, assinale a alternativa INCORRETA.
A) Para Sócrates, o filosofar consiste em romper com a atitude comum, o domínio da opinião e com as crenças recebidas.
B) Um grande desafio para o ensino de filosofia está em motivar aquele que ainda não possui qualquer conhecimento do pensamento filosófico.
C) A história da filosofia precisa ser vista não no sentido doutrinário, mas sim como contendo a contribuição dos grandes filósofos, ao trazerem problemas filosóficos que até hoje nos motivam a pensar.
D) O ensino de filosofia precisa, portanto, ser independente do conhecimento da tradição, uma vez que não é através dela [tradição] que entramos em contato com os problemas filosóficos.
E) A tradição filosófica mostra que não existe uma única resposta possível à questão sobre o que é a filosofia, mas que, ao contrário, foi concebida de diferentes maneiras ao longo dos séculos.

Questão: 28
Uma das questões mais importantes e relevantes do pensamento de Immanuel Kant, é o problema do conhecimento. Em sua obra, Crítica da Razão Pura, o autor apresenta duas formas do conhecer: o empírico e o puro.
Este último, conduz a juízos universais e necessários, conhecidos como juízo:
A) Analítico e puro.
B) Analítico e sintético.
C) Autônomo e sintético.
D) Sensível e racional.
E) Puro e racional.

Questão: 29
"Desde o começo, a filosofia preocupou-se com o problema do conhecimento, pois sempre esteve voltada para a questão do verdadeiro. Desde o início, os filósofos se deram conta de que nosso pensamento parece seguir certas leis ou regras para conhecer as coisas e que há uma diferença entre perceber e pensar." (CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo, Ática. 2010.).
A respeito do problema do conhecimento, assinale a afirmativa correta sobre este princípio para os filósofos gregos.
A) Para Platão, nosso conhecimento vai sendo formado e enriquecido a partir do acúmulo das informações trazidas por todos os graus, de maneira a dar uma continuidade entre o conhecimento sensível e o intelectual.
B) Platão e Aristóteles herdaram de Sócrates o procedimento de começar uma questão pela discussão e o debate de opiniões contrárias sobre ela.
C) Aristóteles distinguiu quatro formas ou graus de conhecimento, que vão do grau inferior ao superior: crença, opinião, raciocínio e intuição intelectual.
D) Sócrates concluiu que não podemos conhecer o Ser, pois se pudéssemos, pensaríamos todos da mesma maneira, uma vez que a verdade é universal.
E) Para os sofistas, a verdade pode ser conhecida desde que compreendamos que precisamos afastar-nos das ilusões dos sentidos.

Questão: 30
A Metafísica é considerada o estudo ou o conhecimento da essência das coisas ou do Ser real e verdadeiro das coisas, daquilo que elas são em si mesmas, apesar das aparências que possam ter e das alterações que possam sofrer. Aristóteles, na metafísica afirmou que a Filosofia Primeira estuda os primeiros princípios e as causas primeiras de todas as coisas: material, formal, eficiente e final.
Assinale a alternativa que, respectivamente, relaciona as perguntas às quatro causas primeiras aristotélicas:
A) Como é? O que é? Por que é? Para que é?
B) O que é? Como é? Por que é? Para que é?
C) Para que é? Como é? O que é? Por que é?
D) Por que é? O que é? Para que é? Como é?
E) O que é? Para que é? Como é? Por que é?

Questão: 31
"A tarefa da filosofia é entender o que é, pois o que é a razão. No que diz respeito ao indivíduo, cada um é filho de seu tempo. Desse modo, a filosofia é seu tempo apreendido em pensamentos. Não é sensato crer que a filosofia possa ir além de seu tempo presente, do mesmo modo que imaginar que um indivíduo possa saltar por cima de seu tempo." (HEGEL, Principios de la filosofía del derecho.Buenos Aires: Sudamerica, 1975).
A partir desta citação de Hegel, assinale a alternativa que corresponda à corrente filosófica hegeliana:
A) Empirismo.
B) Materialismo.
C) Idealismo.
D) Racionalismo.
E) Pragmatismo.

Questão: 32
"A forma como os homens produzem esses meios depende, em primeiro lugar, da natureza, isto é, dos meios de existência já elaborados e que lhes é necessário reproduzir; mas não deveremos considerar esse modo de produção deste único ponto de vista, isto é, enquanto mera reprodução da existência física dos indivíduos. [...] A forma como os indivíduos manifestam a sua vida reflete muito exatamente aquilo que são. O que são coincide portanto com a sua produção, isto é, tanto com aquilo que produzem como com a forma como produzem." (MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Disponível em:
www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cv000003.pdf Acesso em: maio de 2018.).
O trecho acima de Marx e Engels apresenta características do materialismo histórico e dialético.
Sobre esta corrente de pensamento, leia as afirmativas abaixo:
I. Os seres humanos não podem ser pensados de forma abstrata, como no idealismo, pois não existe um indivíduo formado fora das relações sociais.
II. Marx reconheceu o trabalho como atividade fundamental do ser humano e analisou os motivos que tornaram esta atividade exploradora e alienante.
III. Marx realizou uma crítica ao idealismo hegeliano, afirmando que Hegel inverteu a relação entre o que é determinante (a realidade material) e o que é determinado (representações sobre a realidade).
Pode-se considerar que:
A) Apenas a afirmativas I e III estão corretas.
B) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
C) Todas as afirmativas estão incorretas.
D) Todas as afirmativas estão corretas.
E) Apenas a alternativa II está correta.

Questão: 33
Leia com atenção o trecho abaixo:
"Deus está morto! Deus permanece morto! E quem o matou fomos nós! Como nos haveremos de nos consolar, nós os algozes dos algozes? O que o mundo possuiu, até agora, de mais sagrado e mais poderoso, sucumbiu exangue aos golpes das nossas lâminas. Quem nos limpará desse sangue? Qual a água que nos lavará?" (Nietzsche, Gaia Ciência, seção 125).
Considerando o contexto da filosofia nietzschiana, assinale a alternativa INCORRETA.
A)O trecho demonstra a estabilização e consistência dos nossos sistemas tradicionais de valoração.
B) O trecho se refere à "morte de Deus" como um acontecimento cultural, feito por nós mesmos.
C) O trecho se remete ao niilismo contemporâneo.
D) O trecho nos remete às ligações entre religião e moral.
E) O trecho apresenta o fim da crença na transcendência dos valores da nossa sociedade.

Questão: 34
"Embora seja evidente que toda e qualquer ciência é humana, porque resulta da atividade humana de conhecimento, a expressão "ciências humanas" refere-se àquelas ciências que têm o próprio ser humano como objeto." (CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo, Ática. 2010.).
A constituição das ciências humanas como ciências específicas consolidou-se a partir do século XX, com a contribuição de três importantes correntes do pensamento, sendo elas:
A) O humanismo, o estruturalismo e o historicismo.
B) A fenomenologia, o positivismo e o marxismo.
C) A fenomenologia, historicismo e o marxismo.
D) O humanismo, o positivismo e o historicismo.
E) A fenomenologia, o estruturalismo e o marxismo.

Questão: 35
Leia com atenção os trechos abaixo:
"Penso, em primeiro lugar, que se eu quisesse dedicar-me ao ensino da juventude, deveria renunciar a prosseguir minhas investigações filosóficas. Por outro lado, ignoro dentro de que limites minha liberdade filosófica deveria ser contida para que não parecesse que quero perturbar a religião oficialmente estabelecida; [...]" (SPINOZA, B. Carta a J. Luis Fabrício, Profesor de la Universidad de Heildelberg y Consejero del Elector Palatino (30 de marzo de 1673). In: Epistolario de Baruch de Spinoza. Buenos Aires: Milá-Editor, 1988, p.153)
"A relação entre a filosofia, sua difusão ou seu ensino, e o Estado, teve uma origem trágica." (CERLETTI, Alejandro. O ensino de filosofia como problema filosófico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009, p.65)
"Hoje em dia, a filosofia não é exercida como uma arte privada - como ocorria na Grécia clássica - mas ela tem uma existência oficial que concerne ao público, posto que está fundamentalmente a serviço do Estado." (HEGEL, apud, MACHEREY, P. Faire de la philosophie em France aujourdhui. In: MARCHAL,F.(coord). L"enseignement de la philosophie à la croisèe des chemins. Paris: CNDP, 1994. p.113).
Estabelecendo uma relação entre os trechos acima, pode-se considerar como "uma origem trágica":
A) A morte de Sócrates.
B) O fim dos genos.
C) O fim do mito.
D) A prisão de Galileu Galilei.
E) A morte de Giordano Bruno.

Questão: 37
Transformações ocorridas a partir do desenvolvimento da ciência moderna, levaram ao questionamento dos critérios e métodos para a busca do conhecimento verdadeiro. Principais filósofos dos séculos XVII e XVIII propuseram epistemologias do conhecimento, dentre eles, os empiristas.
Relacione os pensadores a seguir às suas respectivas concepções:
1. Thomas Hobbes
2. John Locke
3. George Berkeley
4. David Hume
( ) Todo o nosso conhecimento sobre o mundo exterior resume-se ao que captamos pelos sentidos, mas a existência das coisas nada mais é do que a percepção que temos da sua existência.
( ) Nossa mente, no momento do nascimento, é como uma tábula rasa, um papel em branco, sem nenhuma ideia previamente escrita.
( ) A conclusão indutiva, por maior que apresente o número de percepções repetidas do mesmo fato, não possui fundamento lógico. Somente o raciocínio dedutivo, utilizado na matemática, fundamenta-se numa lógica racional.
( ) Toda a realidade pode ser explicada a partir de dois elementos: do corpo, compreendido como o elemento material que existe, independente do nosso pensamento e do movimento, que pode ser determinado pela geometria e pela matemática.
Assinale a alternativa que contenha a relação correta, de cima para baixo.
A) 4 - 1 - 3 - 2
B) 3 - 2 - 4 - 1
C) 4 - 2 - 1 - 3
D) 1 - 3 - 2 - 4
E) 3 - 2 - 1 - 4

Questão: 38
"Podemos considerar o projeto filosófico de Descartes como uma defesa do novo modelo de ciência inaugurado por Copérnico, Kepler e Galileu contra a concepção escolástica de inspiração aristotélica em vigor na Idade Média. A defesa desse novo modelo depende da possibilidade de mostrar que a nova ciência se encontra no caminho certo, ao passo que a ciência antiga havia adotado concepções falsas e errôneas, como, por exemplo, o sistema geocêntrico do cosmo." (MARCONDES, Danilo. Iniciação à história da filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2010).
A partir do trecho citado acima, é possível afirmar que para René Descartes (1596 - 1650):
A) O pensamento é algo mais certo do que qualquer corpo, pois se deve priorizar o ser pensante em contraposição à matéria.
B) Toda ideia é uma reapresentação de alguma impressão, esta que pode possuir diferentes graus de fidelidade.
C) Para conhecer a verdade, é preciso, de início, comparar todos os elementos que são observados por meio dos sentidos.
D) Toda a realidade depende da ideia que fazemos dela, ou seja, negar a existência da matéria como algo independente da mente.
E) Nada existe em nossa mente; nada que não tenha suas origens nos sentidos.

Questão: 39
Texto
"O coração tem razões que a razão desconhece." (Pascal)
CHAUÍ (2010), nesta afirmativa, chama atenção para as palavras razão e razões. Segundo a autora, estas palavras não possuem o mesmo significado, pois:
I. Razão é o nome que se dá à consciência intelectual e moral.
II. A vida emocional possui causas e motivos diferentes de nossa atividade consciente, de nossa razão.
III. Ao se dizer que o coração tem suas próprias razões, afirma-se que as emoções, os sentimentos ou as paixões são motivos e causas do que fazemos.
IV. Para muitos filósofos, a razão é apenas a capacidade moral e intelectual dos seres humanos.
Assinale a alternativa que contenha a(s) afirmativa(s) correta(s):
A) Todas afirmativas estão corretas.
B) I e IV.
C) II, III e IV.
D) I, II e IV.
E) I, II e III.

Questão: 40
"O mito se opõe ao logos como a fantasia à razão, como a palavra que narra à palavra que demonstra. Logos e mito são as duas metades da linguagem, duas funções igualmente fundamentais da vida do espírito." (GRIMAL, Pierre. A mitologia grega. 3.d. São Paulo: Brasiliense, 1982. - Primeiros Voos)
Sobre a passagem do Mito à Filosofia:
I. A força da mensagem dos mitos está na capacidade que possui de sensibilizar as estruturas profundas, inconscientes, do psiquismo humano.
II. Essa passagem ocorreu durante longo processo histórico, com um rompimento brusco e imediato com as formas de conhecimento utilizadas no passado.
III. Durante muito tempo, os primeiros filósofos gregos compartilharam de crenças míticas, enquanto desenvolviam o conhecimento racional que caracterizaria a filosofia.
IV. Essa passagem do mito à razão, deixa claro que não havia uma lógica do mito e que, de outro lado, a realidade filosófica excluía o poder lendário.
Estão correta(s) a(s) afirmativa(s):
A) I e II.
B) II e IV.
C) I e III.
D) I, II e IV.
E) II e III.

GABARITO:
26D
27D
28B
29B
30B
31C
32D
33A
34E
35A
37B
38A
39E
40C
     

 
 
Sites parceiros:

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Fale conosco

Copyright © 2008-2019 Só Filosofia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.