Biblioteca Virtual
 Biografia de Filósofos
 História da Filosofia
 Laifis de Filosofia

 Eventos
 Resenhas
 Livros
 Entrevistas
 Jornais Brasileiros

 Oráculo
 Dicionário de Filosofia
 Vídeos de Filosofia
 Rádio Filosofia
 Como estudar Filosofia
 Dicas para Monografia
 Filos. e Outras Áreas
 Filos. na Sala de Aula

 Exercícios Comentados
 Jogos On-line
 Provas de Concursos

 Loja virtual
 Curso de Filosofia

 Curiosidades Filosóficas
 Escolas de Filosofia
 Filosofia Clínica
 Histórias Filosóficas
 Relato do Leitor
 Frase de um Leitor
 Charge da Semana
 Fil. para Crianças
 Lançamento de Livros
 Livros para Download
 Frase de Filósofos
 Uma Foto, uma História
 Trechos de Livros
 Enquetes
 Cursos de Extensão
 Fale Conosco

 

 

Provas de Concursos e do Vestibular

 
(14/Mai) Prova e Gabarito - Professor de Filosofia - Estado de Sergipe - FUNCAB - 2012
 
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Questão 27
O nascimento da reflexão filosófica na Grécia antiga está associado aos pensadores que antecederam a Sócrates, os chamados pré-socráticos. As questões fundamentais propostas por esses filósofos são de âmbito eminentemente:
A) moral.
B) político.
C) cosmológico.
D) educacional.
E) religioso.

Questão 28
Os sofistas, mestres da retórica e da oratória, opunham-se aos pressupostos de que as leis e os costumes sociais eram de caráter divino e universal.
Deu-se assim, entre eles, o:
A) naturalismo.
B) relativismo.
C) ceticismo filosófico.
D) cientificismo.
E) racionalismo.

Questão 29
A filosofia de Sócrates se estrutura em torno da sua crítica aos sofistas, que, segundo ele, não amavam a sabedoria nem respeitavam a verdade. O ataque de Sócrates à sofística NÃO tem como pressuposto a ideia de que:
A) o conhecimento verdadeiro só pode ser resultado de um diálogo contínuo do homem com os outros e consigo mesmo.
B) o confronto de opiniões na política democrática afasta a possibilidade de se alcançar a sabedoria.
C) a verdade das coisas é obtida na vida cotidiana dos homens e, portanto, pode ser múltipla e inacabada.
D) o autoconhecimento é a condição primária de todos os outros conhecimentos verdadeiros.
E) a ciência (epistéme) é acessível a todos os homens, contanto que estejam dispostos a renunciar ao mundo das sensações.

Questão 30
A Escola de Atenas, pintura renascentista de Rafael de Sanzio, retrata um dos maiores conflitos filosóficos de todas as épocas. No meio da tela estão Platão, apontando para cima, e Aristóteles, com a mão espalmada para baixo.Aobra indica o conflito entre:
A) o céu e o inferno.
B) o divino e o mundano.
C) o intangível e o tangível.
D) a virtude (no alto) e o vício (no chão).
E) o conhecimento inteligível e o sensível.

Questão 31
Assim como os primeiros padres da Igreja, Santo Agostinho é herdeiro da filosofia de Platão, a qual buscou adaptar à fé cristã. É correto afirmar que para o bispo de Hipona:
A) a razão (logos) inspiradora dos filósofos pagãos não fora a mesma que se revelouemCristo.
B) a sabedoria perfeita e acabada só se daria através da revelação divina.
C) a fé não deve preceder a razão, embora essa seja inútil sem aquela.
D) a verdade é extrínseca ao homem, que possui uma natureza corrompida.
E) as ideias existem num mundo à parte da mente divina.

Questão 32
Principal expoente da filosofia escolástica medieval, São Tomás de Aquino retomou o problema mais importante da Patrística, a conciliação entre fé e razão. Em sua "Suma teológica", procurou dar provas racionais da existência de Deus com base em Aristóteles. São Tomás de Aquino converge com o filósofo grego ao:
A) perceber o corpo como obstáculo à atividade da alma.
B) adotar o raciocínio lógico-dedutivo.
C) considerar o homem inapto a viver em sociedade, dada sua malignidade natural e espontânea.
D) negar a felicidade terrena como fim a ser atingido por todos os homens.
E) conceber o universo como uma hierarquia de seres, onde os superiores dominam os inferiores.

Questão 33
René Descartes é considerado o mestre do racionalismo, corrente filosófica moderna que atribui à razão humana a capacidade exclusiva de conhecer e estabelecer a verdade. É correto dizer que o racionalismo cartesiano:
A) utiliza o método indutivo a posteriori.
B) admite parte dos saberes já existentes e consagrados.
C) recusa todo tipo de premissa, por mais evidente e lógico que possa parecer.
D) está fundado na intuição intelectual.
E) nega a capacidade humana de discernir por completo o certo do errado, o verdadeiro do falso, dada a falibilidade natural à espécie.

Questão 34
A concepção empirista de ciência é uma característica marcante da filosofia inglesa moderna, da qual se destacam John Locke e Francis Bacon.
Entre as proposições básicas do empirismo, está a de que:
A) os preceitos da razão exigem confirmações e podem ser desmentidos.
B) a razão humana é capaz de conhecer imediatamente a realidade em si, isto é, em seus aspectos universais e necessários.
C) as ideias derivam, antes de tudo, do intelecto.
D) a razão não tem qualquer acesso ao conhecimento, já que seu processo de produção começa e se encerra nos sentidos.
E) a realidade das coisas não pode ser conhecida nem explicada pela ciência, mera prática de associação de ideias e sensações.

Questão 35
O criticismo de Immanuel Kant consiste na sua indagação acerca das condições de possibilidade do conhecimento em geral. Trata-se, pois, da análise crítica da própria faculdade da razão. O estudo proposto por Kant é denominadamente:
A) empírico.
B) transcendental.
C) dialético.
D) dedutivo.
E) estrutural.

Questão 36
Hegel deixa como legado para a reflexão filosófica a identificação entre a história e a razão. Na perspectiva hegeliana, a razão humana é:
A) relativa a tempos e épocas históricos singulares, não alcançando nunca a totalidade.
B) contraditória: uma racionalidade supera sempre, e por completo, outra racionalidade.
C) transcendente, já que foi criada pela Providência Divina.
D) criadora da realidade objetiva, o que significa que o real é obra histórica da razão.
E) condicionada social, econômica e politicamente.

Questão 37
O materialismo histórico e dialético é o método científico criado por Karl Marx e Friedrich Engels para interpretar a história da humanidade. Está de acordo com esse método a afirmação de que:
A) as formas assumidas pela sociedade ao longo de sua história dependem, antes de tudo, do "pensamento" ou da "razão" humana.
B) as mudanças históricas resultam de ações súbitas e espetaculares de indivíduos ou grupos.
C) o processo formativo da espécie humana é livre e autodeterminado.
D) as relações de trabalho e produção de que o homem participa alteram o mundo natural sem, contudo, interferir em sua personalidade intrínseca.
E) a "consciência" do homem corresponde, em última instância, a certas fases de desenvolvimento das forças produtivas.

Questão 38
Da Antiguidade até os dias de hoje a classificação das artes veio passando por mudanças significativas. É INCORRETO dizer que:
A) a arte é pensada por Aristóteles em sua relação com a ética e a política, com as quais forma o conjunto dos saberes práticos, distintamente da ciência, que ele define como saber teórico.
B) as ditas belas-artes surgiram com a noção de estética e se distinguiram das artes liberais pelo seu sentido autônomo e desinteressado (não utilitário), resultado da expressão criadora do artista.
C) Platão considera as artes imitativas ou miméticas como uma das formas de acesso ao conhecimento verdadeiro, já que representam a realidade tal como ela é.
D) a filosofia, do ponto de vista da poética, estuda as obras de arte no sentido da "fabricação" (de seres, ações e gestos artificiais).
E) a classificação das artes em liberais (dignas do homem livre) e mecânicas (próprias do trabalhador manual) seguiu o padrão determinado pela estrutura social antiga, fundada na escravidão.

Questão 39
Reunidos na Escola de Frankfurt, filósofos alemães (Adorno, Marcuse, Horkheimer) descreveram a racionalidade ocidental como instrumentalização da razão.Aideia de razão instrumental pressupõe uma:
A) transformação de uma ciência em ideologia cientificista.
B) análise neutra e imparcial da natureza e da sociedade.
C) forma de acesso aos conhecimentos verdadeiros.
D) ciência transparente e desmistificada.
E) aplicação de novos saberes e descobertas ao progresso material.

Questão 40
As ciências naturais e as ciências humanas ou sociais integram o conjunto dos conhecimentos científicos definido no século XIX por filósofos franceses e alemães. No que diz respeito a essas ciências é correto afirmar que:
A) o positivismo estuda a sociedade como fato, afirmando que os fatos sociais nada têm em comum com as leis da natureza.
B) o método adotado pelos historicistas para lidar com os fatos humanos é o hipotético-dedutivo, empregado também nas ciências naturais.
C) o homem como objeto científico é uma ideia surgida entre os gregos na Antiguidade.
D) a história e a economia pertencem ao conjunto das ciências humanas, assim como a psicologia e a linguística.
E) as ciências humanas, ao surgirem, buscaram novos métodos, técnicas e conceitos, distinguindo-se desde então das ciências da natureza, já estabelecidas e consolidadas.

Questão 41
Assim como a filosofia, a política nasceu na Grécia antiga e esteve relacionada ao surgimento da cidade-estado, a pólis. Os primeiros formuladores da ideia de política foram os sofistas, contra os quais se pronunciaram Platão e Aristóteles. No âmbito das controvérsias acerca da política, é correto dizer que:
A) o caráter divino da pólis e da justiça é explicado por Platão e Aristóteles.
B) os sofistas consideram a cidade o lugar onde alguns homens impõem sua vontade sobre outros por meio da força.
C) a "virtude" do homem não se realiza na cidade, local da oratória persuasiva e falaciosa, de acordo com Aristóteles.
D) a justiça é entendida como concórdia entre os filósofos, os guerreiros e os produtores, que, na visão de Platão, têm como interesse comum o bem da pólis.
E) a pólis e as suas leis são estabelecidas por convenção entre os seres humanos, segundo os sofistas.

Questão 42
O pensamento político medieval foi marcado pelas relações conflituosas entre a Igreja e os governantes seculares. Tendo em vista as teorias teológico-políticas da Idade Média, que divergem quanto à delimitação de soberania do poder espiritual e terreno, é INCORRETO dizer que:
A) o governante não representa os governados, mas a Deus perante os governados, já que seu poder deriva Dele.
B) a ordem política e social é uma hierarquia de funções e lugares fixos, onde o papa e o imperador ocupam o topo.
C) a finalidade do poder político é estritamente espiritual para Santo Agostinho e a Patrística latina.
D) o rei e o papa são soberanos nos seus respectivos domínios, o temporal e o espiritual, segundo a "teoria das duas espadas".
E) o rei possui dois corpos, o humano e o divino.

Questão 43
Em termos filosóficos, Nicolau Maquiavel é apresentado como o descobridor da política como categoria independente da moral teológica. A ruptura de Maquiavel com a moralidade do cristianismo significa que:
A) a virtude (virtù) política está associada à maldade e ao uso indiscriminado da força bruta.
B) a ética ou a moral da política moderna deve ser a do mundo pagão, que se destina à realização do bem público, antes de tudo.
C) a ação política deve estar pautada nos preceitos da razão humana, que determinam a priori o que é bom ou mal, justo ou injusto.
D) as virtudes cristãs - a humildade, a misericórdia, a fé em Deus, o amor ao próximo - são, em si mesmas, ruins e sem importância.
E) o elemento decisório da política não é Deus, mas sim a força incontrolável do acaso, a eventualidade da "fortuna".

Questão 44
Thomas Hobbes e John Locke fazem parte da mesma escola filosófica, a do direito natural ou jusnaturalista, que se baseia no trinômio "estado de natureza", "contrato social" e "estado civil". Apesar de divergirem em relação a esses conceitos, Hobbes e Locke convergem quanto à ideia de que:
A) os indivíduos renunciam à liberdade irrestrita de que gozam no estado de natureza para ganhar do soberano a segurança.
B) o contrato social consiste num pacto de submissão entre indivíduos livres e iguais.
C) os governados são portadores do direito natural de resistir às arbitrariedades do governante no estado civil.
D) o trabalho é o legitimador da propriedade privada no estado de natureza.
E) a autoridade soberana deve ser dividida no estado civil entre o rei e o parlamento.

Questão 45
O pensamento filosófico-político de Jean Jacques Rousseau tem como fundamento sua crítica à sociedade da época, segundo ele marcada pela injustiça e pela servidão. Para reparar esses males, Rousseau propõe uma:
A) república democrática representativa.
B) monarquia absoluta de direito divino.
C) república na qual o poder soberano, uma vez instituído, torna-se poder absoluto.
D) associação política de notáveis (aristocracia).
E) monarquia constitucional ou mista, que reúna o rei, a aristocracia (câmara dos lordes) e o povo (câmara dos comuns).

Questão 46
Em "O espírito das leis", Montesquieu reflete sobre a questão política das formas de governo, partindo da afirmação célebre de que "as leis constituem as relações necessárias que derivam da natureza das coisas". Nessa perspectiva, o pensador francês considera que:
A) as leis políticas e civis podem ser derivadas ou deduzidas das leis divinas.
B) a infinita diversidade de leis e costumes do mundo humano não corresponde às espécies de governo, já que são apenas três: a republicana, a monárquica e a despótica.
C) o conteúdo das leis humanas não pode ser extraído da observação experimental e sim da razão.
D) as leis do mundo físico (clima, fertilidade do solo) se aplicam às formas de governo - o despotismo corresponde ao clima quente e a monarquia "moderada" é típica dos países de clima frio.
E) a política e a sociedade são regidas por leis sociais e naturais, sobre as quais os seres humanos não desempenham nenhum papel ativo.

Questão 47
Com Edmund Husserl, a fenomenologia tornou-se uma corrente filosófica particular, baseada na "suspensão do juízo" (epochê) em relação à realidade exterior. É correto dizer que a fenomenologia de Husserl:
A) descreve as experiências históricas e evolutivas da razão.
B) compreende a realidade como fato externo, observável e experimental.
C) se refere não a seres concretos e sim a "essências", isto é, a sentidos e significações que a razão atribui à realidade.
D) converge com o relativismo e o historicismo, já que não visa produzir afirmações universalmente válidas.
E) considera a consciência destituída de intencionalidade.

Questão 48
Desenvolvida em várias etapas, a filosofia analítica tem como foco os estudos da linguagem, que identifica como a base dos problemas filosóficos. É INCORRETO afirmar que:
A) a ideia central da corrente analítica é a de que a filosofia pode esclarecer a linguagem, e não o inverso.
B) a linguagem, para alguns analíticos, pode e deve corresponder com exatidão aos fatos e às coisas.
C) a filosofia analítica nega todo o pensamento anterior, porquanto, no seu entendimento, a verdade se aloja na linguagem, e não nos fatos ou nas ideias.
D) a ideia do formalismo lógico da linguagem é rompida em dado momento por Wittgenstein, que admite várias maneiras de se usar a linguagem ou vários "jogos de linguagem".
E) os analíticos divergem quanto ao valor da linguagem ordinária ou natural para a compreensão dos problemas filosóficos.

Questão 49
Pensadores franceses ditos pós-modernos, como Jean-François Lyotard, Gilles Deleuze e Michel Foucault, romperam com pressupostos tradicionais da filosofia. É INCORRETO dizer que em meio a esses pensadores se apresenta a ideia de que:
A) a filosofia deve se abrir para outros saberes, em especial para as artes plásticas, a literatura e o cinema.
B) a razão e a ciência são operadas como instrumentos de poder.
C) a possibilidade da verdade e do conhecimento é infundada.
D) a realidade não existe, já que é simples efeito do discurso.
E) o saber filosófico deve explicar a sociedade e a cultura com base num sistema teórico, metodológico e sistemático.

Questão 50
Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) definem a importância da Filosofia no Ensino Médio, as estratégias didáticas de ensino da disciplina, além de suas habilidades e competências. O PCN NÃO aponta como objetivo da inclusão dos conhecimentos filosóficos na grade curricular dos educandos a:
A) oferta de um quadro de referências teóricas e conceituais.
B) ampliação da capacidade de análise crítica e independente acerca da realidade social.
C) assimilação de doutrinas e teorias, que deverão se constituir num tipo de saber prático e restrito às atividades profissionais.
D) interface com outras disciplinas de ciências humanas e de áreas distintas.
E) formação para a cidadania e a preparação básica para o trabalho.

PROVA DE REDAÇÃO
Redija um texto dissertativo, utilizando no mínimo, 15 linhas e, no máximo, 20 sobre o tema "A leitura é fundamental ao desenvolvimento da criança e do jovem."

GABARITO:
27C
28B
29C
30E
31B
32E
33D
34A
35B
36D
37E
38C
39A
40D
41E
42C
43B
44A
45C
46D
47C
48A
49E
50C
     

 
 
Sites parceiros:

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Fale conosco

Copyright © 2008-2014 Só Filosofia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.